Municípios do interior voltam a sofrer com apagões elétricos

O município de Eirunepé (a 1.159 quilômetros de Manaus) vem sofrendo com as constantes quedas no fornecimento de energia elétrica há pelo menos três semanas. Os moradores da região estão tendo prejuízos na área da saúde, educação, comércio e serviços.

A situação foi denunciada pela deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). De acordo com a deputada, a população permanece por horas sem o fornecimento de energia elétrica.

Além disso, hospitais e UBS’s também têm sido afetados, podendo causar estragos de vacinas e outras medicações que precisam ser armazenadas a baixa temperatura.

“A população de Eirunepé está sofrendo. Quando falta energia muitas vezes falta água, lugares que são abastecidos por poços artesianos, por exemplo, não conseguem levar água para a população. Além de hospital, UBS’s, vacinas que podem ser estragadas e outras medicações que têm que ficar conservadas a baixa temperatura, comida, comércios perdem seus materiais. A população sofre, pois falta um ventilador, falta uma geladeira para gelar água e guardar os alimentos. A população está sofrendo, desde as crianças até os mais idosos”, disse a deputada.

A deputada informou que cobrou medidas de solução da Amazonas Energia e deu um prazo de 24 horas para que a empresa apresente uma solução.

Apagões

Não é a primeira vez que municípios do interior do Amazonas sofrem com situações de desabastecimento de energia elétrica. Em julho deste ano, os municípios de Iranduba e Manacapuru ficaram por cerca de 8 dias sem luz elétrica, o que causou diversos prejuízos para a população.

Na época, foi criada, inclusive, uma Força Tarefa de Defesa do Consumidor, formada pela Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (CDC/ALE-AM), Defensoria Pública do Estado (DPE-AM), Ministério Público do Estado (MP-AM) e Procon-AM, com o objetivo de adotar medidas que amenizem os prejuízos pelo desabastecimento energético.

(*) Com informações da assessoria de imprensa