Na atual administração de Manaus, vereador tem que “apelar” pra Prefeitura pra tapar buracos

Imagina que está no site da Câmara Municipal de Manaus que a vereadora Vilma Queiróz (PTC) fez um “apelo em nome da população do Japiim, na zona sul de Manaus, ao secretário municipal de Infraestrutura, Hissa Abrahão (PPS)” para conseguir o serviço de tapa-buracos nas ruas do bairro. Fora o “apelo”, a parlamentar ainda apresentou dois requerimentos e “carregou” na defesa para que seus pares aprovassem os requerimentos falando dos transtornos causados pela buraqueira. Levando-se em conta a trabalheira que teve a vereadora, atualmente há que se travar uma verdadeira batalha pra tapar buraco. Como os tempos mudam, não é mesmo? Ou será que antes já era assim?

Isso é que é redundância!

E, pelo jeito a situação não está nada boa pelas ruas do bairro do Japiim já que, quem escreveu a matéria da vereadora sobre o serviço de tapa-buraco, apelou até mesmo pra uma redundância daquelas brabas pra convencer o secretário Hissa Abrahão: “pra que ele priorize as iniciativas para a realização dos serviços de tapa-buracos, prioritariamente…Será que ele ainda não entendeu que o Japiim é prioridade?

Mas já gosta de audiência

O vereador Rosivaldo Cordovil (PTN), presidente da Comissão de Transporte, Viação e Obras Públicas da Câmara Municipal de Manaus (CMM), deve ter verdadeira fixação por audiências públicas. Vira e mexe, e lá vem ele com a realização de mais uma audiência pública para tratar de transporte coletivo. A mais atual audiência pública, segundo o parlamentar, é para debater a viabilidade do passe livre estudantil em Manaus. Mas, imagina, que a comissão de transporte, ainda vai se reunir, na próxima semana, para discutir quando vai ser realizada a audiência pública, que ainda nem tem data marcada. Agora, tem até planejamento pra realizar audiência pública, pelo amooor de Deus!

Que é estranho…

Um certo editor-chefe de jornal dizia que Diário Oficial era “um lugar” onde podia se encontrar todo tipo de coisa, mesmo as mais estranhas. E, não é no mínimo estranho, no mesmo Diário Oficial, nas publicações da Câmara Municipal de Manaus, exonerar um servidor chamado Rodrigo Prado Portilho, do cargo de Assessor Legislativo I, CCAL-1, e logo abaixo, em outra publicação nomear para o mesmo cargo, alguém com o mesmo sobrenome, Marlen Cristinny Prado Portilho. Será que fizeram alguma confusão na nomeação de parentes, foi?