Na Câmara, prefeito lia sua mensagem anual em plenário e servidores faziam manifestação na galeria

protestoEnquanto o prefeito Artur Neto (PSDB) apresentava, em plenário, sua mensagem anual na abertura dos Trabalhos Legislativos de 2014 da Câmara Municipal de Manaus (CMM), um grupo de servidores da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SEMASDH), fazia manifestação na galeria da Casa reivindicando melhores condições de trabalho e salário. A titular da pasta de assistência social é a primeira dama do município, Goreth Garcia, que estava na solenidade realizada na Câmara.

A porta-voz dos servidores, a assistente social e membro do Fórum Estadual de Trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) ,  Marcia Sado, disse que o objetivo da manifestação “é pra chamar a atenção da sociedade, mas principalmente do prefeito e dos vereadores, sobre uma série de situações com as quais eles estariam se deparando na área de assistência social do município”. Ela afirmou que os servidores teriam repetidas vezes buscado o diálogo, inclusive com a secretária Goreth Garcia, mas todas as tentativas foram sem sucesso.

“Temos percebido na assistência social uma morosidade no cumprimento da política de assistência social. O que queremos é que se cumpra o que está escrito na política de assistência social, com a existência de uma equipe de referência, porque não temos uma equipe efetiva necessária pra dar conta da demanda que vem pra assistência social. Outra coisa são as condições de trabalho, não se tem as condições mínimas de trabalho, básicas mesmo nas nossas unidades de atendimento, desde a manutenção das unidades, assim como a deficiência de serviços gerais, a falta de limpeza,falta segurança,  até mesmo a falta de material de expediente. Os colegas até fazem brincadeira porque falta até mesmo papel higiênico”, reclama a assistente social.

Marcia diz que há ainda o problemas dos salários. “O nosso salário, em comparação às outras secretarias da própria prefeitura é a metade do que ganham outros profissionais. A média é um pouco de R$ 2.000,00 e outros profissionais da Secretaria Municipal e Saúde (Semsa),  que executam as mesmas atividade recebem em torno de R$ 4.600,00, não só os profissionais do serviço social, assim como psicologia também.  Mas não é uma situação só de duas categorias. A prefeitura tem essa situação injusta de diferenciar o salário de uma secretaria para outra, mas o nosso caso é gritante”, exlica.