Na CMM, 18 assinaturas dos parlamentares da Casa garantem a instalação da CPI da Amazonas Energia

Foto: Divulgação CMM

O requerimento para intalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as ilegalidades cometidas nesse período de pandemia pela empresa Amazonas Energia, que tem desrespeitado as Leis e as instituições que defendem os direitos do consumidor, já tem 18 assinaturas, ultrapassando o número de assinaturas necessárias para a abertura de uma CPI, que é de 14. O requerimento de autoria do vereador Rodrigo Guedes (PSC) será protocolado na presidência da Câmara Municipal de Manaus (CMM) nesta quinta-feira (18).

Apesar de ter a quantidade de assinaturas suficiente para dar início a abertura de uma CPI, o vereador Rodrigo Guedes, disse que vai aguardar mais um dia para que outros vereadores também possam assinar o documento.

Segundo o vereador, a CPI da Amazonas Energia vai apurar as práticas abusivas cometidas pela empresa, como cortes indevidos do fornecimento de energia elétrica durante o estado de calamidade pública na cidade de Manaus, bem como o descumprimento criminoso de decisões judiciais.

Os vereadores que aderiram à CPI e assinaram o requerimento, até o momento, são: Amom Mandel (Podemos); Antônio Peixoto (PTC); Caio André (PSC); Sassá da Construção Civil (PT); Daniel Vasconcelos (PSC); Dione Carvallho (Patriota); Elan Alencar (PROS); François Mato (PV); Ivo Neto (Patriota); Jaildo Oliveira (PCdoB); João Carlos (Republicanos); Lissandro Breval (Avante); Eduardo Assis (Avante); Raiff Matos (DC); Sandro Maia (DEM); Thaysa Lippy (PP); William Alemão (Cidadania); e o autor do documento vereador Rodrigo Guedes.

O vereador Rodrigo Guedes, lembrou que a Lei Orgânica do Município, o Regimento Interno da Casa Legislativa e a Lei Federal 1579/52, que dispõe sobre as Comissões Parlamentares de Inquérito, respaldam a CMM para a instalação da CPI.

Durante pronunciamento na tribuna da Câmara, nesta quarta-feira (17), Rodrigo Guedes afirmou que as investigações da CPI vão dar uma resposta aos milhares de consumidores amazonenses que são prejudicados com uma das faturas mais caras do Brasil.

“Neste parlamento, temos que trazer a responsabilidade de colocarmos na linha essa empresa, que é inimiga número 1 dos amazonenses. São inúmeras transgressões às leis e às instituições. Conto com o apoio dos vereadores e da sociedade para dar um basta aos abusos da Amazonas Energia”, disse.

Com informações da Assessoria de Comunicação