“Não fazemos somente diagnósticos, mas apontamos soluções”, diz Chico Preto sobre seu Programa de Governo

chico 45

Com uma candidatura livre de pactos com outros grupos que já estão no poder, o candidato ao governo Chico Preto lançou nesta sexta-feira, 1 de agosto, o Programa de Governo independente para o Amazonas pelo Partido da Mobilização Nacional, no auditório da Fecomércio e afirmou que em seu governo ao contrário de fazer apenas diagnósticos, também aponta soluções.

De acordo com o candidato, a proposta para governar o Amazonas é fazer mais para “O Amazonas que merece muito mais” a partir de um pacto pelo Estado. “Nós queremos fazer um pacto entre o governo e a sociedade, seja pela família, seja pelo meio ambiente ou em quaisquer outras áreas”, explicou.

Chico Preto apresentou para um público de mais de cem pessoas na presença do vice Gustavo Braz e do candidato a senador, Jonathas Almeida os pontos do Plano de Governo que tem como prioridades realizar um choque de gestão a partir da eficiência nos gastos e investimentos inteligentes.

Na ocasião, o candidato relembrou o episódio ocorrido ainda no mês de junho quando conseguiu evitar que o governo do Amazonas antecipasse o pagamento indevido de um valor que excedia em R$ 200 milhões a dívida do precatório da Andrade Gutierrez. “Neste ano conseguimos descobrir e evitar um desperdício de uma conta feita pelo governo do Estado de 200 milhões a mais por algo que não devia”, relembrou Chico.

Segundo Chico, é dever do governo propor um novo modelo de desenvolvimento para o estado além da Zona Franca de Manaus, algo que ainda não foi feito durante os trinta anos em que o Amazonas não é administrado por outras pessoas e falou sobre cautela para evitar o endividamento do Estado devido a grandes valores em empréstimos para investir em projetos.

Soluções

Ao apresentar e explicar os pontos sobre o Choque de Gestão proposto pelo Programa de Governo, Chico comparou o Amazonas com uma grande balsa carregada fazendo uma volta no rio devido os altos preços pagos por cargos que beneficiam apadrinhados e nomeações sem preparo, sem mérito ou qualificação, defendeu o fim desta prática e apresentou o projeto chamado de ‘dinheiro novo’, uma alternativa ao modelo Zona Franca de Manaus que atrai novos investimentos com atividades que já são desenvolvidas no Estado, como o setor primário que segundo o programa de governo necessita de um investimento mínimo de 1% paras as estas atividades, algo que ainda não acontece.

“A Zona Franca do Amazonas traz a ideia de garantir o beneficiamento destes produtos lá no interior do Estado, para que riquezas também sejam retidas por estes municípios que produzem estes produtos específicos de acordo com a aptidão de cada um”, explicou.

Defendeu também a criação de uma marca Amazonas e Amazônia com o objetivo de incentivar o desenvolvimento de localidades que reúnam condições de estrutura e atratividade com o foco na natureza. O turismo de natureza, cultural e de eventos também é uma das bases do ‘Dinheiro Novo’, a proposta é resgatar o que o Amazonas tem de melhor como o patrimônio histórico e cultural e o Festival Folclórico do Amazonas, que segundo Chico, estão esquecidos.

A criação da primeira Universidade do Software e a biotecnologia também constam no Programa de Governo, a atração de indústrias para produção de cosméticos e fármacos. “Nós vamos formar os nossos jovens para que eles criem a alma destes produtos que são produzidos em Manaus para que essa inteligência seja exportada para outros países”, disse.

Chico destacou que o Amazonas não tem nenhum programa que atenda a família. A solução apresentada para o abuso de drogas é o ‘PAC da Família’, ou seja, fazer que a escola seja aberta para as famílias depois das 17h para que recebam acesso às atividades de esporte, lazer e orientação com psicólogos e assistentes sociais.

Para a educação o Programa de Governo apresentado por Chico Preto defende o ensino técnico profissional e o ensino de valores como noções de trânsito e educação ambiental fora de sala de aula. Na área de segurança, Chico defendeu a melhoria do Ronda no Bairro assim como uma corregedoria e inteligência fortes para o combate da corrupção nas corporações e uma polícia mais eficiente.

Chico quer também uma saúde que resgate a carreira pública de médicos e técnicos. “Existem poucos centros cirúrgicos em Manaus, as pessoas não querem mais passar seis meses numa fila. A terceirização de serviços na área de saúde também precisa ser revista”, frisou.

Durante o encerramento, o público teve a oportunidade de participar com perguntas sobre o Programa de governo apresentado e temas gerais sobre a candidatura independente da chapa.