Não foi “mole” como disseram, mas prefeitos elegeram candidato de Melo para AAM

O séquito de Melo andou fazendo maior lambança dizendo que a eleição seria mole, mole. Não foi bem isso que aconteceu. Porém, mesmo não sendo tão larga a vantagem como disseram os lambanceiros governistas, mas o candidato do governador e do seu partido, o PROS, o ex-prefeito de Itamarati, João Campelo, venceu a eleição para a presidência da Associação Amazonense dos Municípios (AAM) por 33 votos contra 23 votos do prefeito do município de Manaquiri, Jair Souto. Campelo já estava desde julho de 2016, na presidência da AAM, substituindo o prefeito de Boca do Acre, Iran Lima, que renunciou ao cargo para se dedicar à reeleição naquele município.

Mas, Iran Lima levou peia na eleição e ficou que nem João Campelo, sem mandato público – sem problema né gente porque Melo conseguiu um cargo pago com dinheiro público pra Iran Lima ganhando a “mixaria” de R$ 17 mil. E pra Campelo, conseguiu à reeleição também bancando, com dinheiro público como de costume, umas coisinhas aqui e outras acolá pra alguns prefeitos correligionários e prometendo muito, como de praxe.

A votação foi das mais esquisitas, numa caixa de papelão. O local da eleição foi em um daqueles prédios anexos da Assembleia Legislativa do Estado. O Radar esteve por lá, mas não ficou por muito tempo porque, meu povo, aquilo era a visão do inferno. Primeiro que jornalista ficava do lado de fora do local da eleição, ou seja, barrado na entrada, numa espécie de corredor, em pé, num calor insuportável e ainda obrigado a beber água quente – pelo jeito a Associação dos Municípios tá lisa, né mesmo meu povo? Ou então era proposital pra dar um passa fora em determinados jornalistas.

E, com o voto de 33 prefeitos, João Campelo vai permanecer na presidência – e seus parentes e apaniguados na folha de pagamento também, né gente! – tendo como parceiros de chapa vencedora o vice-presidente Andreson Cavalcante (prefeito de Autazes), o primeiro-secretário Júnior Leite (prefeito de Maués), o segundo-secretário Lúcio Flávio do Rosário (prefeito de Manicoré).
João Ocivaldo Batista, de Canutama, e o prefeito de Novo Airão, Wilton Pereira, serão o primeiro e segundo tesoureiros, respectivamente. (Any Margareth)