“Não me sinto governador, mas sim escravo do povo”, disse Amazonino em seu discurso de posse

Após disputa política e guerra fria nos bastidores, finalmente o governador Amazonino Mendes (PDT) e o vice-governador Bosco Saraiva (PSDB), foram empossados, nesta quarta-feira (4), para exercer a chefia do poder executivo. A solenidade aconteceu no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE), e a sessão foi presidida por Abdala Fraxe (Podemos).

Amazonino e Bosco, foram eleitos no pleito suplementar de 2017. Isso porque o ex-governador José Melo (PROS) e o ex-vice governador Henrique Oliveira (SD), cassados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), por compra de votos e abuso de poder econômico, na campanha das eleições de 2014.

“Declaro empossados o governador Amazonino Mendes e o vice-governador Bosco Saraiva”, disse Abdala, ás 11h20 ao declarar os eleitos como empossados.

Em seu discurso, Amazonino disse que não se sente governador. “Me sinto escravo do povo. Vou cumprir o mandato com honra, decência e dignidade”

Amazonino classificou o período em que esteve afastado da vida pública como um momento de descaso. “Estava descansando pois passei 30 anos trocando a convivência com os filhos para cuidar do povo. Agora estou reconduzido a esse doce sacrifício. Nesse processo essa mão ainda tem energia para distribuir esperança. Toda nossa campanha foi fundamentada no amor. Por isso, não trazemos ódio, rancor ou vingança. Seremos o governo de todos os amazonenses”, afirmou.

Quanto ao relacionamento que terá com o Legislativo estadual, o governador disse que o “Executivo deve respeitar as escolhas do Legislativo, mas destacou que o Legislativo deve respeitar as decisões do Governo”.

Fotos: Erik Oliveira