Nem precisou de greve: secretários de Amazonino passam a ganhar R$ 27,5 mil

Foto: Jair Araújo

O governador Amazonino Mendes concedeu um abono de R$ 14 mil para os seus secretários de Estado e com isso elevou o vencimento mensal para R$ 27,5 mil. Para secretários-executivos e presidentes das autarquias e fundações, o abono foi de R$ 11.675,00. Já os secretários executivos adjuntos receberão R$ 10.250,00 a mais no salário.

O dinheiro extra está estabelecido no Decreto nº 38.853, assinado pelo governador Amazonino Mendes e publicado na edição dessa segunda-feira, 9, no DOE (Diário Oficial do Estado do Amazonas).

No decreto, o governador alega que a remuneração do cargo de secretário de Estado, que considera a ” função de maior relevo hierárquico na organização do Poder Executivo, estabelecido em R$ 13,5 mil; tal valor não se ajusta ao volume de trabalho e ao grau de responsabilidade impostos aos seus titulares”.

Ele diz ainda que “a anomalia decorrente de tal situação resulta incontestável frente aos valores de remuneração hoje atribuídos aos juízes estaduais e aos seus similares no Ministério Público Amazonense e do Egrégio Tribunal de Contas do Estado, bem como aos integrantes da Polícia Civil e da Polícia Militar”.

No decreto, Amazonino afirma que o dinheiro para pagamento dos abonos sairá do Orçamento do Poder Executivo.

Confira na íntegra o decreto