No Dia Mundial do Turismo, Roberto Cidade relembra Projeto que tornou as cachoeiras de Figueiredo patrimônio histórico

e acordo com o parlamentar, as cachoeiras estão entre os pontos turísticos mais procurados pelos visitantes de Presidente Figueiredo

Segundo Roberto Cidade, é preciso fomentar o turismo como uma alternativa à dependência econômica do Amazonas ao modelo Zona Franca de Manaus – Foto: Aleam

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Roberto Cidade (PV), relembrou nesta segunda-feira (27) um Projeto de sua autoria, as mais de 80 cachoeiras e grutas do município de Presidente Figueiredo (distante 117 km de Manaus em linha reta) se tornaram patrimônio histórico e cultural do Amazonas. A data de hoje marca o Dia Mundial do Turismo.

A Lei 4.990 foi sancionada no dia 5 de novembro de 2019, pelo Governo do Estado. De acordo com o parlamentar, as cachoeiras, como a do Santuário, da Pedra Furada, da Onça, da Porteira, Iracema e as grutas como a do Batismo, na Vila de Balbina e a caverna do Maruaga, que antigamente era utilizada para rituais e sacrifícios indígenas, estão entre os pontos turísticos mais procurados pelos visitantes de Presidente Figueiredo e que passaram a integrar o rol de lugares históricos do estado.

“O turismo é uma matriz econômica importantíssima para o Amazonas. Fui autor desta Lei por entender que Presidente Figueiredo é um lugar estratégico para o nosso turismo. Nosso Estado tem lugares lindos e que precisam ser conhecidos”, destacou.

Ainda segundo Roberto Cidade, é preciso fomentar o turismo como uma alternativa à dependência econômica do Amazonas ao modelo Zona Franca de Manaus (ZFM).

“Deus foi generoso com o Amazonas. Temos uma terra fértil e belíssima. O turismo precisa ser cada dia mais fomentado para se tornar uma potência econômica no Estado. O mundo inteiro tem interesse em conhecer a nossa floresta e nossas riquezas naturais, basta somente estimular as pessoas a virem aqui”, completou.

*Com informações da assessoria