No discurso da jornalista, quem “brincava com dinheiro público” agora tem “boa vontade política”

A gente, quando ainda é jovem, cronologicamente falando obviamente, costuma menosprezar as opiniões dos mais velhos. Aí, vai-se ficando mais velho também e, aquilo que a gente chama de ranzinzice de velho, mostra ser sabedoria pura. E foi assim que mais uma vez lembrei da minha velha e sábia mãe cabocla que dizia: “tem gente que é que nem peixe, morre pela boca”. Pois num é que é verdade mesmo, gente!

Acredito que um dos muitos casos de “peixe” que se tem na política local surgiu com a nomeação como secretária executiva do Fundo de Promoção Social (FPS), na sexta-feira passada, 10 de novembro, da jornalista Liliane Araújo que, num passado bem próximo, mais precisamente nas eleições suplementares, em agosto desse ano, desceu a peia em seus adversários políticos, principalmente em Eduardo Braga (PMDB) e Amazonino Mendes (PDT).

Nessa época, Amazonino era “um cacique da velha política” e fazia parte dos caras que “durante 30 anos, vieram brincando com o dinheiro público”.

Mas, quando tornou-se pública sua nomeação para o cargo, a moça posando de esperta, achou que ia se livrar de espinafradas de quem não tem memória curta, justificando sua mudança de postura ao dizer que “é preciso descer do palanque para fazer o Amazonas crescer” – que dizer que no palanque o que eles (candidatos) dizem não é verdade não, é gente? E quando estão nos palanques eleitorais eles não pensam em fazer o Amazonas crescer?

O mais esquisito disso tudo é que, quem “brincou com o dinheiro público durante 30 anos”, agora “tem boa vontade política de fazer o Amazonas dá (sic) certo”. Uma coisa é certa, o Negão continua expert não só no dominó, mas no jogo político, neutralizando para as eleições do ano que vem mais um possível adversário político. Depois de se aliançar com o Negão, o que ela poderá ainda dizer, então?