No SPA do Coroado, tem venda de plano de saúde

SPA Coroado Solda 3

SPA CoroadoQuando uma leitora do Radar passou a informação, a gente chegou a pensar que ela podia ter se enganado, visto errado ou qualquer coisa do tipo. Mas, como aqui no Radar só tem leitor digno de confiança, euzinha fui lá pra registrar. E não era verdade mesmo, meu povo! Na recepção do Serviço de Pronto Atendimento (SPA) do Coroado realmente tem um posto de vendas de um plano de saúde privado, o tal do Hapvida, de onde eu já fui cliente e posso testemunhar que é pior do que o SUS. Talvez só não seja pior do que o SUS do Governo de Melo – quem sabe eles não estão fazendo uma parceria do ruim com o péssimo, né mesmo gente?

A situação é tragicômica. É como se o Governo tivesse dando um recado pro indivíduo doente: “compra logo um plano de saúde porque aqui a coisa tá feia!  O banner do tal de Hapvida fica de cara para as cadeiras onde os pacientes ficam esperando um tempão pra serem atendidos, muitas das vezes sentindo dor. Uma verdadeira lavagem cerebral porque depois da experiência traumática no SUS do Melo, o cidadão vai querer rapidinho comprar um plano de saúde ainda mais ao saber que no dito Hapvida não tem carência pra ser atendido em urgência e emergência.

Mas, meses depois pagando o tal plano de saúde, se aparecer uma necessidade de uma cirurgia, como aconteceu comigo, a carência de 180 dias que está no contrato vai deixar de existir, eles vão alegar um tal de “problema pré-existente” como se você soubesse do problema de saúde e tivesse enganado o plano de saúde na hora de fechar o contrato. E aí a carência passará de seis meses para dois anos, o tempo que vão obrigar a pessoa a esperar para fazer a cirurgia, isso se ela estiver viva – igualzinho o SUS do Melo, né gente?

Mas, voltando ao caso da leitora do Radar, ela sequer foi atendida no SPA do Coroado. Cansada de tanta esperar, ela foi para o SPA da Compensa onde contou ter sido atendida e não caiu na esparrela de comprar plano de saúde. Afinal, como ela mesma disse, cadê o dinheiro dos nossos impostos que deveriam significar investimentos na saúde? (Any Margareth)