No Twitter, Arthur Lira acusa Maia e líderes do bloco de “repressão” e “ameaça”

reprodução

Candidato à Presidência da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) acusou, neste sábado (9/1), sem citar nomes, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e líderes de partidos do bloco liderado pelo colega de repressão e ameaças de exoneração.

Lira, apoiado por Jair Bolsonaro, acrescentou que Maia conduziu a Câmara de forma personalista e que a candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP) é fruto de uma imposição. Nos últimos dias, ele tem intensificado os ataques contra os ex-aliados Maia e Rossi.

“Chegam relatos de pressão de governadores nas bancadas, repressão das cúpulas partidárias e até ameaças de exonerações dentro da Câmara. Tudo isso lá do lado da turma que fala em democracia e liberdade”, escreveu Lira, no Twitter.

http://

“Minha candidatura nasceu da base de deputados buscando sua voz e espaço para se manifestar. A Câmara foi tocada de maneira personalista e o outro projeto nasceu de uma imposição. E a imposição e força continuam”, acrescentou.

Lira conta com o apoio de PP, PL, PSD, Republicanos, Solidariedade, Pros, Patriota, PSC e Avante, num total de 193 parlamentares. O PTB, com 11 deputados, e o Podemos, com 10, devem seguir com ele, totalizando 214.