Nos municípios do Alto Solimões, prefeito paga R$ 360 mil por um show, mas obras públicas estão paradas, revela Chico Preto

alto solimões

Depois de percorrer nos dias 22, 23 e 24 os municípios de São Paulo de Olivença, Amaturá, Santo Antônio do Iça e Tonantins, o presidente da Comissão de Obras, Patrimônio e Gestão da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Marco Antônio Chico Preto (PMN/AM), constatou que a região do Alto Solimões está abandonada e com várias obras paradas.

De acordo com o parlamentar, as reclamações registradas são variadas e vão desde o atraso de até 18 meses no pagamento aos produtores rurais de São Paulo de Olivença, falta de condições mínimas de trabalho na área da segurança, obras de infraestrutura básica paradas e apagões – corte sistemático  no fornecimen to de energia elétrica – nos quatro municípios, além de problemas no sistema de abastecimento de água em Amaturá.

“Em São Paulo de Olivença, por exemplo, constatamos que mais de 200 famílias de ribeirinhos encontram-se abandonadas, a espera da assistência do poder público, mas ficamos sabendo que a Prefeitura vai desembolsar R$ 360 mil para pagar um show de duas horas da Banda Calypso, no dia 31 deste mês, no aniversário da cidade”, afirma.

Segundo ele, a situação “está caótica”, porque os problemas se arrastam e tanto o Governo do Estado quanto às administrações municipais não definem prioridades, investem de forma equivocada e deixam parte da população sem a devida assistência.

“Em São Paulo de Olivença fomos informados que o teto da delegacia local desabou e a juíza foi obrigada a colocar os presos em prisão domiciliar, porque não tinha local para acomodá-los”, informa.