Nosso Radar está emitindo sinais que todos os seus desejos serão realizados em 2015!

Ano Novo Radar

Vocês lembram daquele passarinho que, vira e mexe, a gente fala dele aqui no Radar? Aquele que, às vezes é até meio chatinho porque insiste em entrar no raio de ação do nosso Radar, e interrompe o nosso sinal, embaralha as nossas ideias, faz a gente rever métodos e conceitos, mas que nós aprendemos a amar porque sempre traz as notícias mais quentes da cidade? Pois ele decidiu passar por aqui nesse último dia do ano e insiste em dizer que 2015 está marcado na numerologia para ser o ano das vitórias para o Radar e para todos os seus leitores.

E isso, como já era de se esperar, nos deu uma baita dose de esperança e alegria. Fiquei aqui me imaginando escrevendo sobre avanços na educação do nosso Estado, sobre uma saúde humanizada para os nossos irmãos, sobre uma infraestrutura de trânsito menos estressante, sobre um transporte coletivo mais digno. Pensei como meus dias seriam melhores escrevendo sobre meninos sendo retirados das ruas, sendo arrancados das mãos de traficantes, sentados num banco de escola, recebendo amor e atenção.

Comecei a sorrir à toa, pensando em como essas notícias deixariam nossos leitores felizes porque eles fazem parte desse “grupo de malucos” do Radar que teimam em ter fé na vida, fé na Justiça, fé nos homens…fé em tudo! Insisti com meu amigo passarinho sobre a tal previsão que ele trouxe – confesso que meio descrente – já que a gente anda tão acabrunhado com notícias nada nobres e animadoras.

E ele, posando de passarinho místico, voltou a fazer uns cálculos meio estranhos sobre o número 2015, cuja soma dá oito, e que “levando em conta as Leis de Pitágoras seria um misto de expansão de negócios com lucratividade e expansão da consciência espiritual. Com isso, os empreendimentos lucrativos resultariam em benefícios para muitos, e não só restritos somente os interesses pessoais de alguns poucos”. Que passarinho danado, gente, não é que me convenceu? E, depois, não faz mal algum em pensar que ele possa estar certo, afinal as notícias são boas, né gente?

E tem mais, fiquei aqui a pensar, numa frase que ouvi de um jornalista, neste último dia do ano, que ele disse ser de literatura de cordel: “2015 está com uma cara boa. Mas, antes de acreditarmos nele, que tal acreditarmos em nós?”. E gostei do que ouvi porque pensei o quanto todos nós somos fortes juntos e podemos construir as melhores notícias do mundo! (Any Margareth)