Nota oficial da maior bancada na ALE, desmente discurso de proporcionalidade partidária para a formação de CPI

PMDBNota oficial enviada ao Radar, assinada pelos quatro deputados do PMDB – Marcos Rotta, Belarmino Lins, Vicente Lopes e Wanderley Dallas – partido com maior bancada na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), desmente as informações oficiais repassadas ontem, quarta-feira (09), em release com entrevista do presidente da Casa, deputado Josué Neto (PSD) alegando que a composição da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes no Amazonas tenha sido feita “com base na proporcionalidade partidária” e que “esta definição foi tomada por todos os deputados que estavam presentes à reunião (18 deputados)” para decidir sobre a escolha dos membros da comissão, sua abrangência e forma de atuação.

Na nota oficial os deputados peemedebistas demonstram seu descontentamento ao esclarecerem que, “o PMDB por unanimidade decidiu prestigiar as mulheres e indicou a deputada estadual Vera Castelo Branco para compor titularidade”, mas “a indicação não foi acatada”, o que eles demonstram considerar errado já que “pela proporcionalidade regimental” caberia à escolha ao PMDB, maior bancada partidária na Casa. Ver Nota:

NOTA OFICIAL

 O PMDB, por intermédio de seus membros na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), esclarece:

“O PMDB, por unanimidade, decidiu prestigiar as mulheres e indicou a deputada estadual Vera Castelo Branco (PTB) para compor titularidade na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI da Pedofilia). Na avaliação da bancada, a deputada, além de mulher, é delegada da Polícia Civil e tem grande experiência em investigação. Portanto, daria uma grande contribuição às investigações do processo.

No entanto, como o PMDB não teve a indicação acatada, deixou a reunião e colocou a cargo do presidente da Casa Legislativa, deputado Josué Neto (PSD), a indicação ao nome que, pela proporcionalidade regimental, caberia ao partido peemedebista – maior bancada partidária na Assembleia.

Logo, em momento algum, o PMDB sugeriu, apoiou ou sequer indicou outro nome, que não fosse o da deputada Vera Castelo Branco, para compor a titularidade dentro da “CPI da Pedofilia”.

Para concluir, ratifica-se, mais uma vez, que o PMDB foi unânime em indicar a deputada para o cargo.

A nota oficial é subscrita pelos deputados do PMDB: Marcos Rotta, Belarmino Lins, Vicente Lopes e Wanderley Dallas.