Surto de casos de Covid-19 em Tefé acende alerta e novas medidas restritivas são adotadas

Um boletim divulgado na semana mostra que Tefé iniciou um novo surto, com 335 novos casos de Covid-19

Tefé, município distante 522.03 km da capital amazonense, enfrenta um possível novo surto de Covid-19. O avanço da variante Ômicron preocupa, bem como os casos de gripe, que estão lotando as unidade de saúde do município. Devido o avanço da infecção, a prefeitura do município estabeleceu, nesta segunda-feira (17), novas medidas de restrição para tentar barrar a doença.

Um boletim divulgado na semana de 10 a 16 de janeiro de 2022, mostra que Tefé iniciou um novo surto, com 335 novos casos de covid-19. Este é o maior número de casos acumulados desde março de 2021, na segunda onda do vírus na cidade.

Mesmo com o menor número de internados e óbitos, devido a vacinação, esta nova onda poderá sobrecarregar a rede hospitalar pela maior disseminação desta nova variante predominante, a ômicron.

Nesse domingo (16), haviam três pessoas internadas – o maior número de internados desde 20 de agosto de 2021. E na mesma data somaram-se cerca de 360 casos ativos, com potencial de ampliar os números.

Atualmente, Tefé está com 64% da população imunizada com as duas doses da vacina ou com dose única. Porém, a terceira dose de reforço só foi aplicada até agora em apenas 16% da população. São quase 8 mil pessoas que ainda não fizeram a segunda dose e quase 20 mil não fizeram o reforço.

Além disso, há ainda um quadro que só aumenta de pessoas acometidas com a gripe influenza H3N2.

Diante do cenário, a Prefeitura divulgou medidas temporárias que passam a valer a partir desta terça-feira (18) e vão até o dia 24, quando deve haver uma nova avaliação do quadro epidemiológico naquele município.

Durante o período de vigência do novo decreto, fica instituído o uso obrigatório de máscaras de proteção por todas as pessoas que precisarem se dirigir ao comércio ou demais estabelecimentos;

Postos de combustíveis deverão funcionar somente das 6h até 01h, ficando expressamente proibido consumo nas conveniências;

Os restaurantes, lanchonetes e sorveterias, poderão funcionar as 07h às 01h, respeitando o limite máximo de 50% (cinquenta por cento) de sua capacidade, podendo adotar modalidade delivery até as 00h.

As feiras e mercados públicos, que comercializem produtos in natura, respeitado o limite máximo de 50% (cinquenta por cento) de sua capacidade, com funcionamento restrito ao período de 04hs às 18h;

As padarias poderão funcionar das 06h às 22h, respeitado limite máximo de 50% (cinquenta por cento) de sua capacidade;

Aos petshops e estabelecimentos que comercializem alimentos e medicamentos destinados a animais, fica permitido o funcionamento das 08h às 22h, exceto em urgência e emergência pelo médico veterinário.

Veja decreto na íntegra