Novas lanchas garantem atendimentos sociais para 50 comunidades ribeirinhas de Manaus

A partir dessa segunda-feira (12), 50 comunidades localizadas na zona ribeirinha de Manaus passaram a ser beneficiadas com serviços da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), depois que o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, entregou duas lanchas para locomoção das equipes de atendimento.

A entrega das embarcações aconteceu na Casa Militar, Compensa, zona Oeste.

“Com essas duas lanchas atenderemos cerca de mil famílias em comunidades espalhadas no interior de Manaus. Esse é mais um passo que damos no sentido da integração plena da cidadania das pessoas que moram nas zonas Rural e Ribeirinha”, disse 
Arthur, que estava acompanhado da primeira-dama e presidente do Fundo Manaus Solidária, Elisabeth Valeiko Ribeiro.

As lanchas iniciam suas atividades ainda nesta semana, visitando as primeiras comunidades do entorno da cidade.

As lanchas auxiliarão no atendimento de famílias acompanhadas por servidores dos Centros de Referência da Assistência Social (Cras) Colônia Antônio Aleixo e Compensa, além de serem utilizadas pelos Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e também por Conselheiros Tutelares da zona Rural.

Com as lanchas, as equipes da Semmasdh poderão levar os serviços oferecidos nos Cras às famílias que vivem nas comunidades ribeirinhas.

Entre eles: identificação de situações de vulnerabilidade e risco social, acolhida, reuniões com as famílias, visitas domiciliares, atendimentos particularizados e em grupo, ações comunitárias, encaminhamentos e articulações com outras políticas para atender a população, além de garantir acesso a quem precisa ao Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico).

“Todas as estruturas que temos nos Centros de Referência da Assistência Social serão levadas até essas comunidades para ampliarmos nossas ações. Com essas lanchas, vamos atender as pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social com mais rapidez e eficiência”, disse o secretário da Semmasdh, Danísio Elias.

A diretora de proteção social básica da Semmasdh, Lenize Trindade, destacou que as lanchas suprem a necessidade de uma logística diferenciada para se trabalhar pelos rios.

“Isso é uma grande conquista para garantir os direitos dos beneficiários do CadÚnico. Nós tínhamos uma demanda na área ribeirinha que estava deixando de ser atendida, por ser uma área de difícil acesso. Agora, que conseguimos as lanchas, vamos garantir que todos tenham garantidos direitos e benefícios”, finalizou.