Novo CT do Bahia terá horta comunitária e receberá vizinhos em peladas

Além de permitir que torcedores se hospedem nos quartos de seus ídolos, a Cidade Tricolor, novo Centro de Treinamento do Bahia, inaugurada no sábado (11), carrega consigo outras curiosidades, de certa forma, inovadoras.

Entre outras coisas, o CT Evaristo de Macedo, que homenageia o técnico campeão brasileiro pelo clube em 1988, contará com uma horta comunitária e receberá, em um dos campos da base, peladas para as comunidades vizinhas -das cidades Dias D’Ávila e Camaçari, na região metropolitana de Salvador.

Para viabilizar a horta -que abastecerá não só a comunidade, mas também os atletas-, o presidente tricolor, Guilherme Bellintani, visitou no último mês de dezembro a Feira de Agricultura Familiar, na Fenagro (Feira Internacional da Agropecuária), em Salvador. A Secretaria da Agricultura também esteve no CT para analisar o projeto, que será iniciado em breve.

A horta ficará atrás de um dos campos da base, e as pessoas das comunidades que fizerem parte do projeto terão acesso normal à Cidade Tricolor, como qualquer pessoa do clube.

“A horta ainda vai começar a ser preparada junto com a comunidade. Qual o propósito? A gente está trabalhando com o pessoal de Agricultura Familiar, que tem muita experiência. Temos o solo muito ruim aqui, então faremos um trabalho de recuperação junto com a comunidade e ali serão plantados e cultivados todo alimento para consumo dos nossos atletas e distribuição à comunidade, toda parte de hortifruti. Faremos o cultivo aqui, junto com membros da comunidade, para fazer essa integração”, disse o presidente à reportagem.

O novo CT tricolor tem 304.487 m², sendo que pouco mais da metade da área foi urbanizada. “A horta é dentro do CT, no nosso terreno. Temos 300 mil m², mas só urbanizamos 180 mil m²; 120 mil m² são para expansão. Estamos fazendo a horta dentro dessa área ainda não urbanizada”, explicou.

Além da horta, outra parceria com a comunidade vizinha são os babas -como são chamadas as peladas na Bahia. O clube irá separar um dia de cada mês para que seus vizinhos joguem bola em um dos campos em que treinarão atletas das categorias de base.

“Também vamos fazer a pelada da comunidade, uma vez por mês, e vai ter muita integração, como também prioridade de contratação de mão de obra local”, completou o presidente.