Novo juiz eleitoral de Coari intima depoentes em mais um escândalo de corrupção eleitoral contra Adail

Cartório-eleitoral-coari 1

No dia 11 de fevereiro de 2014, por determinação do presidente do Tribuna Regional Eleitoral (TRE), Flávio Humberto Pascarelli, foi designado para responder cumulativamente pela 8ª Zona Eleitoral em Coari, o juiz Fabio Lopes Alfaia, que é juiz titular 18ª Zona Eleitoral, em Barcelos. O mesmo ato assinado pelo presidente do TRE, informa que o juiz substituiria a juíza Careen Aguiar Fernandes. Fabio Alfaia retomou imediatamente o único processo por crime eleitoral que está na esfera estadual, onde há denuncias de que em sua prestação de contas de campanha de 2012, Adail Pinheiro colocou como financiadores de campanha pessoas que dizem não ter feito qualquer doação. Essas pessoas já foram intimadas a prestarem depoimento nesta quinta-feira, 13 de março, em Coari.

Segundo explicações do próprio presidente do TRE, Flavio Pascarelli, a então juíza eleitoral de Coari, Careen Aguiar Fernandes, “extinguiu a ação sem o julgamento do mérito”, o que em outras palavras significa que a magistrada mandou o processo para o arquivo sem dar uma resposta final. “O TRE reformou a decisão e determinou o retorno dos autos a Coari para instrução. Detectamos que esse processo não andou. Designei um novo juiz, o Fábio Alfaia, para que acelere o julgamento desse processo e faça a instrução, tendo finalmente uma decisão. Vamos apurar essa paralisação, verificar a responsabilidade e se é verdadeira, pois a informação pode ser extraoficial”, explicou Flavio Pascarelli a imprensa.

Denuncia

Em dezembro de 2012, o empresário José Antonio Moreira Afonso, proprietário da empresa J.A.M. Afonso, em Coari e sua filha Adriane Silva Afonso denunciaram ao Ministério Público Federal (MPF) que tiveram seus nomes, os nomes da empresa e até suas contas bancárias utilizadas para constar como doadores de campanha de Adail Pinheiro, mas nunca fizeram qualquer doação para a campanha do então candidato a prefeito de Coari. Na relação de financiadores de campanha, de 2012, apresentada por Adail à Justiça Eleitoral, José Antonio e sua filha aparecem doando, cada um deles, R$ 30 mil reais.

Segundo fontes do Radar, o caso torna-se ainda mais escandaloso porque envolveria funcionários do Banco do Brasil. Um deles é ninguém menos que o subgerente da agencia do Banco do Brasil em Coari, José Verismar dos Santos Oliveira, que também é secretário adjunto da secretaria de Fazenda de Adail Pinheiro. “Mas, apesar de ser secretário adjunto ele só é visto trabalhando no banco. Se ele dá expediente na secretaria de fazenda deve ser à noite”, ironiza.

O Radar também conseguiu captar que o dinheiro do suposto financiamento de campanha apareceu misteriosamente nos registros das contas bancárias dessas pessoas, como forma de “legalizar” as doações feitas à campanha de Adail Pinheiro. “Isso só poderia ser feito por quem tinha acesso as contas, não é mesmo?”, indaga a fonte do Radar ligada às investigações de “captação ilícita de recursos eleitorais”. Outro que também será chamado a depor é o empresário conhecido como Pedro da Mipel que teria declarado ter doado R$ 100 mil a campanha de Adail Pinheiro, mas segundo a fonte do Radar, seu patrimônio não corresponde com um doador que tenha condições financeiras para tal montante de financiamento de campanha eleitoral. “Any Margareth)