Nubank sugere que negros não têm capacidade de exercer cargo de liderança na empresa

Foto: Cristina Junqueira, InfoMoney

Na última segunda, 19, uma executiva da empresa de pagamentos Nubank afirmou, no Programa Roda Viva, que é “difícil” encontrar pessoas negras que atendam aos requisitos da empresa para os altos cargos.

“Não dá pra nivelar por baixo. Por isso a gente quer investir em formação. Não adianta colocar alguém pra dentro que depois não vai ter condições de trabalhar com as equipes que a gente tem. Depois não vai ser bem avaliado. A gente não está resolvendo um problema, está criando outro, né?”

Ela assume que existem poucas pessoas negras na empresa, afirma que existem grupos de recrutamento voltados para a capacitação de pessoas pertencentes aos setores oprimidos, que busca uma “líder global de diversidade”. Questionada pela jornalista da Forbes sobre a demora, Junqueira justifica: “Estou há bastante tempo procurando e é difícil. Recrutar Nubank sempre foi difícil.”.

Dessa forma, sugere que as pessoas negras não têm capacidade para os parâmetros da Nubank. “(…)tem a exigência do inglês, que pode ser uma barreira”, disse Cristina.

O programa pode ser visto aqui

Recentemente, tomou os jornais a notícia de que a empresa Magazine Luíza estava recrutando apenas pessoas negras, alegando ser uma forma de reparação ao racismo. Mas essa medida não foi elogiada pela totalidade do movimento negro. Veja a posição de Letícia Parks, editora do Esquerda Diário e membro da Bancada Revolucionária de Trabalhadores para vereador em São Paulo:

http://