Numa eleição atípica na CMM, com 5 candidatos a presidente, Wilker Barreto é eleito com 35 dos 41 votos da Casa

CMM

O comentário geral dos jornalistas que estavam na sala de imprensa da Câmara Municipal de Manaus (CMM) é que nunca se viu uma eleição para os cargos da Mesa Diretora da Casa como a que aconteceu nesta quarta-feira (17). Duas candidaturas que estavam sendo dadas como certas, dos vereadores Ednailson Rozenha (PSDB) e Sildomar Abtibol (PROS), foram retiradas, e de quem nem se imaginava de lançar candidatura foi de onde surgiu o nome para a eleição de presidente da Casa.

Para disputar com o escolhido do prefeito Artur Neto ao cargo, o líder da bancada governista, Wilker Barreto (PHS), no momento da eleição, lançaram as candidaturas os vereadores Marcelo Serafim (PSB), Fabrício Lima (SDD), Professor Bibiano, candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), e Marcel Alexandre (PMDB).

Durante a sessão, os vereadores candidatos à Presidência tiveram cinco minutos para defender suas propostas. Professor Bibiano (PT), por exemplo, relacionou 13 propostas de lutas defendidas pelo PT, como um poder independente, autônomo e transparente, que imprima a legislação do poder popular, além do acompanhamento do cumprimento das metas fiscais da Prefeitura de Manaus, estabelecidas em leis, para implantação de programas sociais, e implantação do orçamento participativo.

Os discursos mais acalorados e críticos contra o candidato do prefeito ficaram por conta de dois vereadores que fazem parte da bancada governista – ou faziam até ontem – Marcelo Serafim (PSB) e Fabricio Lima (SDD). “Não entrei na vida pública para agradar ninguém, entrei pra ser justo”, disse Fabrício Lima, em seu discurso como candidato, deixando claro que, para ele, o mais justo não seria a escolha do líder do prefeito como presidente. Ele explicou que lançava candidatura própria por não concordar com a postura do vereador Wilker Barreto, até então líder do prefeito na Casa e fez um comentário que deixa crer afastamento com o prefeito Artur Neto, de quem foi secretário: “Entro nessa Casa como amigo do prefeito Artur, não sei como saio”.

Mesmo dizendo que sua candidatura não era para “afrontar o prefeito Artur Neto”, o vereador Marcelo Serafim (PSB), destacou a missão do partido, de fazer diferente, de marcar posição. “Ele (Artur Neto) tem minha lealdade, mas não terá minha submissão”, declarou o parlamentar, da tribuna da Casa, logo após dizer que o prefeito teria feito pressão para os vereadores votarem em seu candidato.

Num tom bem mais ameno, Marcel Alexandre (PMDB), por sua vez, justificou que a sua candidatura era uma defesa da democracia na Casa, com o povo e funcionários. O vereador defendeu também a implantação do Plano de Cargos e Salários dos servidores da Câmara.

Mesa Diretora 2015

O novo presidente, indicado pelo prefeito Arthur Neto (PSDB), vai assumir o cargo no próximo dia 1º de janeiro de 2015, em substituição ao vereador Bosco Saraiva (PSDB), que deixa a Câmara Municipal de Manaus para assumir o cargo de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) para o qual foi eleito no último pleito.

A votação, iniciada às 9h20, foi realizada com o plenário Adriano Jorge lotado e contou com a totalidade dos vereadores presentes, assessores, familiares e imprensa. A eleição sacramentada de Wilker Barreto, por volta das 10h30, após a abertura dos trabalhos e inscrição das candidaturas, por meio do voto aberto dos vereadores, conforme o Regimento Interno da Casa Legislativa e a Lei Orgânica do município de Manaus abriu-se o caminho para a eleição dos demais membros da Mesa Diretora, que formaram uma chapa integrada por vereadores da base aliada do prefeito.

Sob a justificativa de que não tiveram suas propostas contempladas na candidatura do vereador Professor Bibiano (PT) pela candidatura do novo presidente eleito da Casa, Wilker Barreto, os vereadores petistas, em protesto, se retiraram do plenário para não votar participar da eleição dos demais membros da Mesa Diretora.

Os novos membros da Mesa Diretora eleitos por unanimidade dos presentes e que apresentaram candidaturas individuais foi composta pelos vereadores Hiram Nicolau (PSD), 1º vice-presidente; Felipe Souza (PTN), 2º vice-presidente; Amauri Colares (PROS), 3º vice-presidente da Casa; Glória Carrate (PSD), secretária geral; Isaac Tayah (PSD), 1º secretário; Reizo Castelo Branco (PTB), 2º secretário; Francisco da Jornada (PDT), 3º secretário; Jairo da Vical (PROS), Ouvidor Geral; e Dr. Alonso Oliveira (PTC), corregedor.