Número de candidatos indígenas no AM quase dobrou desde as eleições de 2014

Dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam que o número de candidatos declarados indígenas quase dobrou desde as eleições de 2014 no Amazonas. Eram nove candidatos indígenas em 2014 e, neste ano, o número chegou a 16 candidaturas.

Dentre as nove candidaturas de indígenas registradas em 2014, três foram considerados inaptos e não disputaram as eleições (dois para a Assembleia Legislativa do Estado e um para o Senado) e outros seis disputaram vagas para o Parlamento, sendo cinco eleitos como suplentes para a ALE.

Neste ano, segundo os dados disponibilizados pelo TSE, há 16 candidaturas de indígenas no Amazonas. O número nem de longe representa a população indígena no Amazonas, considerada a maior do Brasil, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados no último Censo, e chega a marca de 2,12% dentre os 796 candidatos no Amazonas.

Dos 16 candidatos indígenas registrados no Amazonas, há três candidatos à Câmara Federal e 13 disputando uma das “cadeiras” da Assembleia Legislativa do Estado. Dentre eles, seis utilizam a denominação das etnias no nome que aparecerá nas urnas de votação: Tenharim, Apurinã, Kokama, Baniwa, Sateré e Kukami.

Em abril deste ano, representantes de 100 povos indígenas brasileiros se comprometeram a apoiar candidaturas de índios para o Parlamento. Na época, a meta era ousada: eleger ao menos um indígena por Estado.

A divulgação da meta parece ter surtido efeito: dados do TSE apontam que, entre os indígenas em todo o País, há dois candidatos a vice-presidentes, sete disputando uma vaga ao Senado (sendo cinco suplentes), 38 na corrida por uma das vagas na Câmara dos Deputados, dois candidatos ao Governo em Santa Catarina e no Ceará, e 73 candidatos aos Legislativos estaduais.

Na época, segundo um levantamento prévio realizado pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), divulgado pelo jornal EL País, constatou que dentre os mais de 800 mil indígenas no Brasil, pelo menos 36 indígenas eram pré-candidatos aos cargos de deputado estadual, federal e senador.