Número de homicídios em Manaus atinge crescimento de 34% em 2021

Foto: Luiz Mendes/Radar Amazônico

O número de homicídios em Manaus aumentou 34%  entre janeiro a julho de 2020 e janeiro a julho de 2021, conforme apontam dados da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). Enquanto no ano passado a capital acumulava 353 casos nos primeiros seis meses do ano, atualmente já são 476 no mesmo período. É como se, em média, morressem 8o pessoas por mês e três diariamente.

Somente em agosto, a capital já registrou noites extremamente violentas, como o último dia 4 de agosto quando houve uma onda de homicídios. Quatro pessoas morreram em diferentes localidades de Manaus e por diferentes motivações.

Mas a violência não se limita a horários e durante o dia o cenário de violência persiste. No início deste mês, dois homens foram encontrados, durante o dia, com marcas de violência no bairro Distrito Industrial, zona Leste de Manaus.

Foto: reprodução

E o caso mais recente e chocante diz respeito ao assassinato de uma adolescente de 13 anos, identificada como Lohana Vicente da Silva. De acordo com informações de populares a motivação do crime está relacionada com um casamento, pois a jovem estaria supostamente se envolvendo com um homem casado, e a esposa dele teria encomendado a morte da adolescente.

Foto: Luiz Mendes

Esses são alguns dos mais de 400 casos de homicídio somente este ano em Manaus. Apesar de se supor as motivações de cada um dos crimes, na totalidade quase não se fala ou investiga os porquês das mortes de tantas pessoas. Nesse sentido, se levanta a questão da falta de informações mais claras e de uma investigação eficaz por parte da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), ainda mais nos últimos meses, quando, após uma série de ataques criminosos, a capital recebeu a Força Nacional.

“Sem análise a sociedade não pode refletir”

Nesse sentido, o pesquisador e sociólogo da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) Fábio Candotti ressalta a problemática da falta de informação.

“Para interpretar a situação é importante que a SSP nos diga como essas mortes ocorreram. Quantas foram feminicídios? Quantas resultaram de ação policial? E de linchamentos? E de conflitos ligados ao tráfico de drogas? Sem uma análise cuidadosa, a sociedade não pode refletir e decidir o que fazer”, apontou.

A reportagem entrou em contato com SSP-AM, através de e-mail, a fim de questionar a falta de informações precisas sobre os homicídios, e se todos esses foram motivados por tráfico de drogas,  mas até a publicação desta matéria, não obtivemos respostas.

Confira os dados comparados nos anos de 2020 e 2021