Número de mortos em tsunami na Indonésia ultrapassa 200

Um tsunami que pode ter sido causado pela erupção de um vulcão conhecido como o “filho” do lendário Kratatoa deixou mortos e feridos na Indonésia na manhã deste domingo (23, horário local, noite de sábado, 22, em Brasília).

Segundo o último balanço, da manhã deste domingo, ao menos 222 pessoas morreram, 28 estão desaparecidas e 843 ficaram feridas na região do estreito de Sunda, entre Java e Sumatra.

Dezenas de edifícios ficaram destruídos pela onda gigante, que atingiu as praias do sul de Sumatra e do extremo oeste de Java por volta das 21h30 locais de sábado (12h30 de Brasília), informou, em um comunicado, o porta-voz da agência de gestão de desastres do país, Sutopo Purwo Nugroho.

Inicialmente, o governo havia falado em 20 mortos e 165 feridos. E o número de feridos chegava a 584.

Autoridades informaram que o tsunami pode ter sido causado por uma elevação anormal da maré, provocada por um deslizamento de terra submarino que se seguiu à erupção de Anak Krakatoa.

A agência geológica da Indonésia continua investigando as causas, afirmou Nugroho, acrescentando que o número de mortos pode aumentar.

Endan Permana, diretor da Agência de Mitigação de Desastres Nacionais na região de Pandeglang, disse a um canal de TV que a polícia estava prestando assistência imediata às vítimas e que algumas áreas atingidas são populares entre turistas.

Anak Krakatoa é uma pequena ilha vulcânica que emergiu do oceano meio século depois da erupção mortal do Krakatoa, em 1883.

A Indonésia, um dos países mais propensos a desastres da Terra, se situa no chamado ‘Anel de Fogo’ do Pacífico, onde placas tectônicas se encontram e uma grande parte das erupções vulcânicas e dos terremotos do mundo ocorrem.

Frequentemente registram-se no país terremotos mortais, inclusive um recente na cidade de Palu, na ilha de Sulawesi, onde um sismo seguido de tsunami matou quase 2.000 pessoas.

O Anak Krakatoa é um dos 127 vulcões ativos registrados no arquipélago.

Fonte: Folhapress.