Número de pessoas infectadas pela Influenza no AM chega a 1.066; quatro mortes foram registradas

Em caso de febre, dores no corpo de forma leve, corizas, o paciente deve procurar inicialmente uma unidade básica mais próxima

Foto: ilustrativa

O número de casos da Influenza no Amazonas já chega a 1.066, conforme aponta a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP). O total foi confirmado a partir do processamento de 9.093 amostras pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen-AM), desde o início de novembro até esta quinta-feira (30), representando uma positividade de 11,7% da doença.

O Amazonas enfrenta período sazonal para a ocorrência de vírus respiratórios, entre a Influenza A (H3N2), que coincide com o período chuvoso no estado, registrado entre novembro e maio anualmente.

Segundo levantamento do Departamento de Vigilância Epidemiológica da FVS-RCP, dentre as 1.066 amostras, sendo 86% (917/1.066) dos casos positivos para Influenza A (H3N2) e um caso positivo para Influenza A H1N1.

Neste balanço, há o registro de quatro mortes por Influenza A (H3N2) em Manaus, dos quais três homens, na faixa etária de 58 a 74 anos, com comorbidades; e uma mulher, de 90 anos.

A diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, ressalta a sensibilidade da rede de saúde, que segue em alerta para os casos de Influenza.

“Todas as unidades de saúde da capital e do interior estão abastecidas com o medicamento de tratamento contra a Influenza antiviral Tamiflu. Caso algum município precise de reforço, a FVS-RCP está liberando de forma imediata”, explicou.

Assistência

Conforme a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), a população deve ficar atenta caso apresente sintomas gripais, e procurar atendimento médico em unidade de saúde mais próxima, dependendo da gravidade dos sintomas.

Em caso de febre, dores no corpo de forma leve, corizas, o paciente deve procurar inicialmente uma unidade básica mais próxima. Caso o quadro seja um pouco mais grave, como falta de ar, cansaço e outros sintomas associados, deve-se buscar um Serviço de Pronto Atendimento (SPA) ou uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Vigilância 

Desde o início de novembro, a FVS-RCP alerta para o período sazonal para vírus respiratórios, entre maio e novembro, com o Boletim da Situação Epidemiológica de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e vírus respiratórios; emissão de comunicado de risco e nota técnica, alertando a rede de saúde do Estado sobre a circulação do vírus Influenza A (H3N2) no Amazonas; e emissão de nota técnica sobre a circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) destinada a profissionais de saúde.

Rede Sentinela

O Amazonas ampliou o número de unidades integrantes da Rede Sentinela de Influenza, passando de oito para 28 unidades, incluindo as que estão localizadas no interior do estado.

A Rede Sentinela é um programa global de monitoramento de vírus, comandado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O Amazonas faz parte do programa, que tem como objetivo coletar amostras semanais de pacientes com síndrome gripal nas redes de assistência aos participantes. Todo o material coletado é encaminhado para laboratório com o objetivo de realizar sequenciamento genético.

A estratégia identifica a linhagem viral predominante e, posteriormente, a OMS seleciona os vírus que irão compor a vacinação contra a Influenza no ano seguinte.

(*) Informações da assessoria