O acordo que “quebrou” Artur e enfraqueceu seu presidenciável

Artur - Desmantelamento

Com Marina Silva cada vez mais firme na segunda posição na disputa para a Presidência da República, conforme as pesquisas de intenção de voto, deixando Aécio Neves pra trás, os arrogantes dos tucanos que sempre deram muito mais valor aos quase 31 milhõesde votos de São Paulo, do que aos nossos meros 2,2 milhões de eleitores, decidiram fixar o olhar no eleitorado do Amazonas (antes considerado michuruca) porque, até que enfim, conseguiram enxergar coisa que o PT de Lula viu há muito tempo, que na hora de passar pro segundo turno, ou ganhar a eleição, a vitória pode vir por mil votos ou por cem mil, não importa a diferença.

E é por isso que se viu na televisão um programa do Horário de Propaganda Gratuita de Aécio Neves todo dedicado ao eleitor da nossa região, assim como também explica a irritação e frustação, principalmente da cúpula do PSDB, com o acordo feito pelo prefeito Artur Neto com o governador e candidato à reeleição José Melo que conseguiu tirar de Artur Neto um anúncio público de apoio à sua candidatura sem dar uma palavra de apoio a Aécio Neves, assim como fez Artur colocar toda a máquina da Prefeitura em apoio à sua candidatura (até a primeira-dama Goreth Garcia virou cabo eleitoral de Melo) sem que o governador pelo menos estivesse em Manaus quando Aécio Neves esteve na cidade. Melo tem “cozinhado” Artur em banho-maria fugindo que nem o diabo foge da cruz de aliar sua imagem a do presidenciável tucano  e pra piorar, em entrevistas a imprensa local, tem dado declarações do tipo que “ficar contra os projetos sociais de DIlma é ficar contra o povo”, ou destacado a importância do apoio da presidente na prorrogação de mais 50 anos para a Zona Franca de Manaus.

Deve ser por isso que, chegou ao conhecimento do Radar, que as lideranças do PSDB  que sempre deram tratamento de reizinho ao tucano Artur Neto, concedendo-lhe grande influência nas decisões do partido, e alardeando sua capacidade de articulação política – inclusive ele é o coordenador estadual da campanha de Aécio- , andam lançando suspeitas sobre a lealdade do prefeito já que dizem achar estranho que alguém com a experência política de Artur Neto leve uma pernada homérica do governador José Melo, visto pelos tucanos como coadjuvante na história da política local. O acordo feito por Artur, mais do que enfraquecer o já combalido desempenho do seu presidenciável no Amazonas, ainda está “arrebentando” sua imagem no ninho tucano, o que pode ter sérias consequências para sua vida política.

Dando a maior “pinta”

Utilizando algumas palavras do dialeto gay que a gente adoooora, não deu para escapar do nosso Radar, o maior “babado forte” (fofoca da boa) no Horario de Propaganda Gratuita. Um dos candidatos à reeleiçã para deputado estadual “tomba” (arrasa) em sua propaganda eleitoral “dando a maior pinta” (fazer tejeitos femininos) – esse não dá nem pinta, dá logo mancha – quando diz seu número de candidato, com a mãozinha meio mole (tipo aquela de segurar bandeija), fazendo o maior “carão” (fazendo pose), com um menear de cabeça e ombro que lembra uma bailarina. Nada contra até porque a turma aqui do Radar se amarra nas “monas” (homossexual), mas é que se tratando de quem é só nos restou comentar: “Tô bege chiclete” (admirada).

Qual é a hora da merenda?

E por falar em “tô bege chiclete”, deu pra ficar boquiaberta meeeesmo com a propaganda eleitoral do filho do prefeito Artur Neto, o deputado estadual e candidato a deputado federal Artur Bisneto. É inacreditável a desfarçatez desse povo. Imagina que o deputado Artur Bisneto aparece com várias mães falando de seus planos de ir para Brasília e conseguir mais verbas federais para investir na educação das nossas crianças. Não dava pra ele começar sua “luta pela educação” pedindo pro papai prefeito não deixar faltar  merenda escolas do município? Será que até ele virar deputado federal nossas crianças vão continuar passando fome? E que mães são essas que nem tocam no assunto? Tá na cara qu o diálogo foi todo montado, né mesmo? Plagiando novamente nossas amigas “monas”, puro “equê”(mentira) né amigas? (Any Margareth)