O Brasil de Guedes vai muito bem

Têm certos políticos que me fazem acreditar que existe uma realidade paralela na qual eles vivem e onde não está incluída a grande parte da população brasileira.

Um exemplo disso é quando escuto as declarações do ministro da Economia do governo de Messias Bolsonaro. Ele diz, com um sorriso no rosto e com empolgação, coisas do tipo que “a economia brasileira está sob controle” e que “o Brasil está voltando a crescer rápido”.

Como pode a economia brasileira estar sob controle e a inflação estar descontrolada?, penso cá com meus botões. Desde março, o índice da inflação acumulado em 12 meses tem ficado cada vez mais acima do teto da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para a inflação deste ano que é de 5,25%. Especialistas na área financeira preveem que a inflação vai terminar o ano em 7,11%.

Parece que no Brasil em que vive Paulo Guedes e sua trupe bolsonarista carro não usa gasolina. Um litro de gasolina em Manaus já chegou a R$ 6,00 (seis reais). Em várias cidades do Brasil, inclusive no interior do Amazonas, o preço da gasolina já atingiu foi R$ 7,00 (sete reais). Somente neste início do ano, a gasolina já aumentou nove vezes de preço.

No país paralelo de Guedes, a energia elétrica não está cara não, está tudo dentro do previsto. Somente no Brasil dos demais brasileiros é que, após aumento da tarifa de energia elétrica em 7,15%, a situação ainda deve ficar bem pior. Segundo previsões da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), as tarifas podem subir, em média, 16,68% em 2022.

No Brasil onde Guedes diz que “está tudo sobre controle”, o preço do óleo de soja não subiu 87,89%, o arroz não ficou 69,80% mais caro e a batata não teve o preço reajustado em 47,84%. Pra dizer a verdade, o Brasil de Paulo Guedes e de seu presidente Messias Bolsonaro sequer tem gente que não tem o que comer. Isso é fake news pra eles.

Os quase 20 milhões de brasileiros que passam fome, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são invisíveis no Brasil de Guedes. Então, para Guedes, deve ser como diz o ditado: “quem não é visto não é lembrado, né mesmo?”.

No Brasil que “está voltando a crescer rápido” como disse Guedes, não pode existir mais de 14 milhões de desempregados e mais de R$ 11 milhões de trabalhadores sem carteira assinada e sem direitos trabalhistas e cerca de 24,3 milhões de brasileiros vivendo de “bico”, Esses números de desempregados e subempregados só existem no Brasil em que vivemos e onde, positivamente, Guedes e a trupe bolsonarista faz questão de fingir que não vive.