O Deus nos acuda da CPI da Covid no Senado Federal

Montagem Radar Amazônico

Na próxima terça-feira (27), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar ações e omissões do governo federal durante a pandemia, assim como também o colapso na saúde do Amazonas, terá sua primeira reunião, quando acontecerá também a eleição para presidente da CPI e vice-presidente. O presidente da comissão nomeará o relator.

Até aí tudo oficial. O não oficial está onde os olhos não veem, mas o Radar consegue captar. O clima é aquele que se diz popularmente de Deus nos acuda, resta saber se Deus vai querer acudir esses caras, porque euzinha num quero acudir nem que a vaca tussa.

Lá pela bandas da capital federal, o presidente Messias Bolsonaro não está mais dando tanta risada da desgraça alheia como sempre faz, desde que soube da escolha do senador Renan Calheiros, do MDB, para relator da CPI da Covid. Bolsonaro e sua trupe bem queriam alguém mais alinhado com seu governo, o que significa ser cego, surdo e mudo para coisas do tipo ter se negado a comprar vacina em agosto do ano passado ou gastar milhões com a compra de Cloroquina, enquanto faltaram leitos de UTI, respiradores, medicamentos e até oxigênio. Bolsonaro já fez de tudo para eliminar a possibilidade de Renan Calheiros estar na relatoria, mas até agora não conseguiu.

E, pelo que tudo indica, um acordo entre os partidos, inclusive o MDB, vai levar para a presidência da CPI da Covid, o senador amazonense Omar Aziz (PSD), que tem levado peia nos veículos de comunicação nacional, desde que seu nome veio à tona para presidir a CPI, já que é investigado em inquérito federal para apurar desvio de mais de R$ 200 milhões da saúde pública do Amazonas.

Ao contrário do que acontece com Renan Calheiros, o nome de Aziz já é visto com mais simpatia por Messias Bolsonaro e sua turba ensandecida, sentimento igualmente compartilhado pelo governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC) e pelo prefeito de Manaus, David Almeida (Avante) – por que será né gente? – que também estão na mira da CPI, segundo informações que chegaram ao Radar. Mas nenhum deles leva em consideração que, para Omar Aziz, sua atuação como presidente da CPI pode ser sua redenção política no Amazonas, pode fazer sua rejeição hoje astronômica despencar e mudar sua história política que vem de uma derrota acachapante para o governo do Estado em 2018. Bom lembrar que a vaga de Omar no Senado estará em disputa nas eleições do ano que vem. Será que ele vai querer colocá-la em risco?

E enquanto o dia da primeira reunião da CPI da Covid não chega, Brasília vai ficando repleta dos emissários de Wilson Lima e David Almeida pra tentar tirá-los de todo jeito do olho do furacão, já que circula pelos bastidores do Senado a possibilidade dos dois serem chamados a depor na CPI, nos próximos dias.

A sorte está lançada!