Anúncio

O dia em que o presidente tripudiou sobre toda uma Nação

Reprodução

Confesso a vocês que quando as primeiras mensagens chegaram ao meu WhatsApp, contando sobre um certo pronunciamento feito pelo presidente Messias Bolsonaro na noite desta terça-feira (24), só não achei que era fake news porque as pessoas que estavam passando as mensagens eram amigos que têm ojeriza a essa pratica de notícias mentirosas. Mas para me convencer totalmente tive que ver o vídeo e minha reação foi de enjoo na boca do estômago e ânsia de vômito.

Enquanto ouvia o Messias pregando a “volta a normalidade”, repetindo mais uma vez, sobre as “gripezinhas” provocadas, em sua opinião, pelo coronavirus e jogando a culpa na imprensa por espalhar “pavor” e provocar “histeria” coletiva, fiquei estatelada, sem ter reação nem mais para xingar, já que ainda não perdi a capacidade de me indignar com certas coisas.

Mas não dá nem pra nominar o que fez Bolsonaro! Ele tripudiou sobre toda uma Nação que tem lutado contra a pandemia por coronavirus, muitas vezes nem por si próprio, mas pelo outro, pelo mais velho, pelo mais frágil, pelo cardiopata, pelo hipertenso, pelo diabético e por tanta gente que pode morrer por causa dessa pandemia.

Bolsonaro tripudia sobre os profissionais de Saúde que põem suas vidas em risco pra cuidar de infectados pelos vírus. Bolsonaro escarnece sobre os governadores e prefeitos que têm enfrentado inúmeros problemas causados pela pandemia de coronavirus.

Bolsonaro desdenha daqueles que praticam a solidariedade ajudando de alguma forma o semelhante nesses tempos de isolamento social. Bolsonaro tripudia sobre o nosso sacrifício de se isolar para não espalhar esse mal. Bolsonaro menospreza até mesmo o próprio Ministro da Saúde do seu Governo.

Mandetta sempre pareceu verdadeiro, num governo onde muitos são mentirosos patológicos. Enquanto Mandetta falava sobre epidemia e possibilidade de colapso do sistema de saúde caso houvesse uma disparada da contaminação por coronavirus. Bolsonaro sempre falou de “gripezinha” e de “histeria” provocada pela imprensa. Pelo que parece, Bolsonaro fez seu ministro da Saúde se curvar a “gripezinha” e calar sobre a epidemia.

Questionado pela imprensa o ministro disse que não ia se manifestar sobre o pronunciamento do presidente.

Nesse caso do vírus e do Messias Bolsonaro, esta Nação, pelo que tudo indica, vai ter que lutar contra um inimigo silencioso e contra um pseudoamigo que faz barulho demais para encobrir suas verdadeiras intenções.