O ‘embromation’ de Wilson Lima

Foto: Alberto César Araújo/Aleam

A cada pergunta um embromation diferente. Assim que se pode resumir toda coletiva de imprensa com o governador Wilson Lima (PSC) quando ele fala, fala mas não diz nada – quando não decide tirar uma selfie com os colegas de imprensa que é pra cortar o papo de uma vez e logo depois dar um jeito de sumir. E não foi diferente do que aconteceu na coletiva de imprensa, realizada nessa terça-feira (5), após a leitura da Mensagem Governamental na abertura dos trabalhos legislativos de 2019.

Já na primeira pergunta da coletiva, o Radar lembrou ao governador que durante a campanha eleitoral do ano passado, ele colocou sob suspeição vários contratos feitos pelo ex-governador Amazonino Mendes (PDT) e, em tom de promessa, disse que iria rever esses contratos e muitos seriam cancelados.

Mas, o que tem se visto com apenas um mês do Governo dele (Wilson Lima) são milhões saindo dos cofres públicos exatamente para o pagamento desses contratos, alguns deles que receberam críticas pesadas do então candidato a governador, como por exemplo o contrato com a Umanizzare, empresa que administra – e muito mal na minha opinião – os presídios no Amazonas.

Mais uma vez, Wilson Lima usou o costumeiro embromation. Chegou a querer justificar o pagamento dos contratos como se eles fossem de áreas essenciais como Saúde, mas nenhum é da área de Saúde. Falou da dificuldade de se achar documentos sobre esses contratos, mas nem assim explicou porque continua pagando.

Veja aí no vídeo, na íntegra, o embromation do governador e, se alguém conseguir entender o que ele explica, favor explicar porque a gente confessa que não entendeu nadica de nada.

Mas enquanto ele embroma com a gente, com certos empresários não tem embromação não, continua pagando!