'O Enem não será cancelado', diz presidente do Inep

enem-presidenteO presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), José Francisco Soares, descartou, em Fortaleza, o cancelamento do Enem 2014 por causa de fraudes e suposto vazamento. “Está completamente fora de cogitação”, disse. “Não há nada que nos leve a essa direção”, afirmou.

Segundo ele, o Inep decidirá os procedimentos quanto ao suposto vazamento após o fim da investigação da Polícia Federal do Piauí. ”No nosso caso temos de esperar essa investigação para, então, procedermos a ação […]. O Enem não será cancelado. Estamos aqui diante de um fato completamente isolado que a policia está investigando […]. A isonomia será garantida a partir das informações que a polícia nos fornecer. É perfeitamente possível encontrar maneiras de restaurar uma isonomia em um evento localizado”, disse.

Operação Apollo

Na manhã desta sexta-feira (14), Soares participou da apresentação do resultado da operação Apollo, da Polícia Federal, que prendeu quatro pessoas nesta manhã por fraude no Enem 2014. Duas prisões foram efetuadas em Juazeiro do Norte, no Cariri cearense, e duas na Paraíba. Foram cumpridos sete mandados de busca em Juazeiro do Norte, quatro na Paraíba e um no Piauí.

Os quatro presos estão envolvidos na cooptação de candidatos interessados em participar do esquema de fraude e de pessoas para fazer o teste e passar o gabarito das questões durante a prova, segundo a Polícia Federal. Considerando dois flagrantes de pessoas repassando ”cola” pelo celular na prova do Enem de sábado (8), são seis prisões relativas ao Enem 2014, dentro desta mesma investigação. As fraudes beneficiam principalmente candidatos interessados em ingressar em medicina em universidades públicas.

Responsável pela segurança do Enem no Ceará, a delegada Andréa Karine afirmou que as prisões não têm relação com os vazamentos denunciados por alunos no Piauí e Ceará. “Não temos elementos que mostrem conexão entre os dois casos”, disse. Três alunos do Ceará disseram nesta quinta-feira (13) que também receberam antecipadamente o tema da redação do Enem 2014. Eles informaram que mensagens pelo celular com o tema “Publicidade Infantil no Brasil” foram enviadas a eles, de forma similar ao que ocorreu com  estudantes do Piauí.  No Piauí, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal no Piauí (MPF-PI) abriram inquérito para investigar o caso. No Ceará, até a manhã desta sexta não havia denúncias do gênero na Polícia Federal ou MPF.

Prisões no sábado

No domingo (9), a Polícia Federal divulgou ter prendido duas pessoas suspeitas de passar o gabarito do exame em mensagens no celular em Juazeiro do Norte na prova do Enem  de sábado (8). Elas foram autuadas pelo crime de fraude em concurso de interesse público.

Os candidatos presos se inscreveram com sabatistas, que fazem o exame em horário diferenciado. “Eles foram presos com os gabaritos das provas nos celulares. Ainda não podemos saber como eles tiveram acesso, estamos no começo da investigação”, disse, neste fim de semana, a delegada da Polícia Federal Andréia. Os presos foram liberados após pagamento de fiança no valor de R$ 6 mil e vão aguardar o julgamento.

Vazamento na edição 2011

Em 2011, uma escola privada de Fortaleza teve acesso antecipado a 16 questões do Enem, que foram compartilhadas entre os alunos. Os candidatos que tiveram acesso prévio tiveram as questões anuladas.

Na época, o Ministério Público Federal chegou a pedir a anulação da prova, mas a Justiça não deu decisão favorável ao procurador Oscar Costa Filho.

Fonte: G1