O futuro de Manaus começa a ser discutido na Câmara. Fique antenado!

Começa a ser discutido na Câmara Municipal de Manaus (CMM), na próxima segunda-feira (12) a proposta do anteprojeto do novo Plano Diretor Urbano e Ambiental de Manaus. As sete Mensagens do Executivo que compõem o anteprojeto foram entregues nesta sexta-feira (09) à CMM pelo Gabinete Civil da Prefeitura. Os trabalhos de revisão do Plano Diretor foram feitos pelo Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb), ou seja, pela administração municipal. Como está escrito numa cartilha distribuída pela Prefeitura de Manaus (administração Amazonino Mendes), o Plano Diretor é “a Lei que vai definir a melhor forma de usar os espaços do município dando prioridade ao uso coletivo, ou seja, aos equipamentos públicos como escolhas, creches, postos de saúde, e áreas de proteção ambiental. É através do Plano Diretor Urbano e Ambiental de Manaus que a nossa cidade pode se desenvolver de uma forma planejada, não de forma desordenada, em harmonia com a natureza que lhe é peculiar e onde as necessidades coletivas estejam acima dos interesses de pequenos grupos. Por isso, pense em Manaus e acompanhe o que o Poder Público quer fazer na nossa cidade.

Revisão loooonga!

Há mais de cinco anos que a dita revisão no Plano Diretor Urbano e Ambiental de Manaus se arrasta. É um vai e vem interminável entre a Prefeitura e a Câmara, e sua apreciação e votação têm sido brecadas, durante todos esses anos, através de intervenções constantes do Ministério Público do Estado (MPE) que sempre reclama da falta de participação popular na elaboração do documento.

Interesses

E a insistência por parte do Ministério Público para que a população participe da elaboração do novo Plano Diretor é que há muitos interesses em torno da elaboração da Lei. A maioria desses interesses, segundo os analistas de plantão, envolvem grandes construtoras e grupos privados. Eles querem construir onde bem entendem e visam apenas o lucro em detrimento do bem-estar da população.

Construtoras

Um desses interesses, apontados pelo Radar quando a revisão do Plano Diretor ainda estava sendo feita pelo Implurb, seria o limite na quantidade de andares (o que significa aumentar a altura) dos prédios a serem construídos em Manaus. Atualmente o limite é de 18 andares, e as construtoras querem aumentar para 25 andares. E ainda construir esses enormes “espigões” em áreas da cidade como a Ponta Negra onde esses imensos prédios tapariam a visão das belezas naturais do local e impediriam a circulação dos ventos vindos da orla fluvial.

De olho neles!

E os representantes do povo na Câmara Municipal de Manaus responsáveis pelo futuro da nossa cidade são os vereadores Sildomar Abtibol, como presidente; Elias Emanuel (PSB), como relator; e como membros da Comissão: Rozenha (PSDB), Felipe Souza (PTN), Glória Carrate (PSD), Luiz Alberto Carijó (PDT), Socorro Sampaio (PP), Dr. Alonso (PTC), Waldemir José (PT), Amaury Colares (PSC), Everaldo Farias (PV), Marcel Alexandre (PMDB) e Marcelo Serafim (PSB).