O instituto/comitê do governador pra continuar “metendo a mão” no dinheiro dos prefeitos e de outros poderes do AM  

Desesperado com a dívida que contraiu de R$ 4,5 bilhões por ter se apropriado indevidamente de recursos dos fundos estaduais que eram pra ter sido repassados para outros órgãos estaduais e prefeituras do interior do Amazonas, o governador bailarino do Estado, Wilson Lima, decidiu criar um tal de Instituto de Desenvolvimento Ambiental, Social e Econômico dos Municípios do Amazonas (IDASEMAM), na tentativa de continuar dando “baile” em prefeito do interior, ficando com o dinheiro deles e mantendo-os submissos à sua política da chantagem com recursos de convênios que, no caso de muitos prefeitos, continuam só na promessa.

Wilson Lima não quer pagar o que deve e ainda quer continuar se apropriando dos recursos dos fundos estaduais, como tem feito, por exemplo, com o dinheiro do FTI que era pra ser destinado ao desenvolvimento do interior e está sendo usado para bancar campeonatos de dominó, Peladão, Carnaval, Lives de boi-bumbá da imprensa que publica qualquer coisa a seu favor e ataca seus adversários políticos.

Com a criação do tal instituto, Wilson Lima acredita que vai enfraquecer a Associação Amazonense dos Municípios (AAM) que é exatamente quem está cobrando que ele devolva os recursos que se apropriou indevidamente das prefeituras do interior do Amazonas. O que o governador esquece é que não basta querer para poder criar uma entidade representativa de um segmento social. Existe todo um caminho jurídico a ser seguido.

Ao invés de ficar “bailando”, Wilson Lima – assim  como sua imprensa paga mal informada – deveria saber que nos dias atuais, a AAM é a única entidade com autoridade legal para representar os municípios do Amazonas, inclusive contando com a legitimidade dada pela Lei (nº 14.341, de 18 de maio de 2022) aprovada no Congresso e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Para desespero de Wilson Lima, a nova Lei traz até legitimidade para que a AAM ajuíze ação em favor dos municípios e contra o governo por estar ficando com o dinheiro dos municípios.  Mas, se Wilson acha que pode criar um instituto fake para com isso não devolver o dinheiro das prefeituras do interior, bom saber o que ele vai fazer pra ficar com os recursos que eram pra ter sido repassados para o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Ministério Publico do Amazonas (MPAM) e Defensoria Pública.

Fazendo dupla com o governador bailarino está o prefeito corredor de Manaus, David Almeida, que decidiu se prestar ao papel de coadjuvante – alguma coisa está ganhando com isso, né mesmo gente? –  e posar de presidente do instituto do Wilson Lima, que mais parece um comitê eleitoral, com uma imensa foto na parede com o governador até mesmo com a camisa de propaganda política.

David tem a missão de “fazer o corre” de driblar prefeitos que querem tão somente recursos que pertencem ao povo desses municípios. Mas esquece que seus corres só tão dando errado, assim como os “passinhos” da dança de catita do governador.

Instituto/comitê do governador presidido pelo prefeito de Manaus David Almeida