Anúncio Advertisement

“O povo de Tapauá decidiu ir pra rua porque não aguenta mais”, diz O líder estudantil Maron Abílio

maron

Ele nasceu em Tapauá, mas mora em Manaus, onde estuda medicina na Universidade do Estado do Amazonas. Assim como ele, vários outros jovens tapauenses que estudam em Manaus decidiram ir para o município e engrossar fileiras com outros estudantes ,  líderes comunitários, agricultores, servidores públicos, gente de tudo que é idade, grau de instrução, atividade profissional….Maron Abílio, na manhã desta sexta-feira (19), foi para a rádio da cidade e convocou a população a ir às ruas e protestar contra o que está acontecendo na cidade de Tapauá. Em entrevista pelo telefone, Maron diz ter certeza que seus conterrâneos vão responder ao chamamento e vão participar da manifestação, “O povo decidiu ir pra rua porque não aguenta mais”, afirma o estudante. Com o conhecimento de quem cursa medicina, Maron fala com propriedade sobre serviços de saúde precários onde faltam medicamentos básicos como dipirona, diclofenaco e tilatil. Ele conta que, na chegada a Tapauá sentiram na pele aquilo que sabiam apenas por conversas com amigos e parentes que moram em Tapauá. “Um dos nossos companheiros, o estudante Semeão Costa, logo depois que chegamos na cidade, sofreu um acidente de moto e no hospital não tinha nem sulfadiazina de prata, um medicamento para passar nas escoriações”, reclamou Maron. Ele apontou ainda outros problemas como a cidade ficar às escuras por falta de energia elétrica  e a falta de merenda nas escolas. Pelas informações que chegaram pelo telefone, no final da tarde, Maron estava certo em suas previsões de que o povo atenderia ao chamado já que nosso parceiro de Radar, o cinegrafista Zezinho Rodrigues, que está em Tapauá, não conseguiu se comunicar direito conosco por causa do barulho a sua volta, feito por cerca de quatro mil pessoas que estavam participando do ato público, segundo estimativa do companheiro jornalista.

Sem comunicação

Até as 22 hs, o cinegrafista Zezinho  Rodrigues ainda tentava transmitir fotos e imagens, via internet, para o Radar. Segundo ele, o sinal de internet naquela cidade é péssimo, uma situação muito criticada pelos estudantes da cidade. Mas, neste sábado (20) Zezinho está de volta a Manaus e o Radar vai mostrar como o povo se manifestou nas ruas de Tapauá.

Filhos de Tapauá

Ao ser perguntado sobre o que os estudantes pretendiam com o ato público, Maron Abílio disse que já está na hora do povo de Tapauá mostrar que é dono do seu destino. “Nós  estamos morando em Manaus, mas somos filhos desse município, temos que pressionar para que as coisas mudem porque a situação do município é de abandono”, disse o estudante. O final da manifestação foi na chamada Praça dos Três Poderes daquela cidade, onde fica a Prefeitura, a Câmara de vereadores e o Judiciário. Maron apontou a manifestação como um ato pacífico e, ao ser questionado sobre alguma animosidade com o prefeito da cidade, ele respondeu: “não sabemos se ele (o prefeito) está em Tapauá, mas a gente gostaria que estivesse. Nossa posição é de diálogo porque só queremos contribuir para melhorias na nossa cidade”.