“O problema do Brasil, não é, e nunca foi a falta de dinheiro, mas o excesso de roubo”, diz Plínio da tribuna da Câmara

plinio

“O valor desviado pela corrupção no setor público é de R$ 69 bilhões, e o valor desperdiçado com os gastos público de má qualidade é da ordem de R$ 440 bilhões. Unindo-se os valores da corrupção e do desperdício, males do Governo do PT, chegamos a soma de R$ 509 bilhões que estão indo para o fosso do roubo e da incompetência escavado por este Governo. É isso mesmo que vocês entenderam, R$ 509 bilhões por ano desperdiçados no governo do PT”. Esse é um dos trechos do discurso feito pelo deputado federal Plínio Valério (PSDB) que ocupou a tribuna da Câmara Federal, na tarde desta terça-feira (02), para “desmistificar o discurso populista e enganoso” que vem sendo feito pelos políticos petistas.

“Na semana passada pude pedir daqui desta tribuna, que não caíssemos na esparrela de concordar com uma Constituinte. Ainda bem que ela morreu no nascedouro. Agora, acuado e à beira do abismo, o Governo do PT inventa um Plebiscito para deixar que a população decida sobre problemas inerentes ao poder Executivo e Legislativo, com o único objetivo de ganhar tempo na esperança de que o povo esqueça por algum tempo, algumas mazelas reclamadas nas ruas”, criticou.

O parlamentar, disse considerar que o plebiscito não passa de golpismo, mais um golpe de marketing do Governo petista para posar de democrático, e não acabar com os males que estão dentro da própria administração petista. “Se entrarmos nessa, teremos que aturar o ex-presidente Lula, comandando uma campanha na televisão, logo ele, que se escondeu durante o tempo que durou as manifestações. Ou será que algum de vocês viu o Lula por aí?”, ironizou Plínio.

Para Plínio, o povo que se manifestou em todo o País deixou bem claro o que espera dos políticos: transparência, honestidade, trabalho e eficiência. “O povo, embora queira, não priorizou a Reforma Política, eu entendi que os manifestantes estão querendo a reforma dos governantes e dos políticos, o fim da corrupção. E como o PT reage? Ao seu modo, bem populista e aproveitador com medidas que oneram ainda mais os cofres público. Mais dinheiro para a Educação… mais dinheiro para a saúde… mais dinheiro para melhorar a mobilidade urbana e mais e mais dinheiro. Ora, o problema do Brasil não é, e nunca foi a falta de dinheiro, mas o excesso de roubo. Está na história, não estou inventando nada, querem um exemplo? Leiam as páginas 74 e 75 da revista Veja desta semana. Os dados são oficiais”, comentou Plínio apontando os números da corrupção e do desperdício.

Ele lembrou que, desde o primeiro ato público, o povo que foi às ruas, deixou claro que é necessário corrigir o que está errado. “Repito: fim da corrupção, honestidade de todos nós, eficiência no serviço público e mais trabalho do Congresso Nacional. Estive atento desde o início, quando no dia seguinte, subi aqui e afirmei que só não entendia o recado das ruas aqueles que não têm noção do que é perigoso”, argumentou o parlamentar, finalizando: “Se nós fizermos nossa parte, agindo com transparência e votando matérias de interesse da população e cobrarmos o mesmo do Executivo e do Judiciário, nos juntaremos a essa gente que continua indo às ruas lutando pelo que todos nós almejamos, uma melhor qualidade de vida para todos os brasileiros. Um País melhor para os nossos filhos”.