O que não faz uma CPI…

Foto: Secom

Após o final da CPI da Covid-19 no Senado Federal ninguém vai poder dizer que tudo terminou em pizza. Um dos principais resultados dessa CPI tem sido o fato de determinados políticos terem sido obrigados a sair da situação de letargia, como se não estivessem nem aí pra nada, dormentes e dementes, sem sentir dor, tristeza ou desespero diante da morte de milhares de pessoas.

Foram essas as conjecturas que ficaram batucando na minha cabeça ao presenciar a vacinação de mais de 140 mil pessoas, em Manaus, num único final de semana. A primeira frase que me veio a mente foi: o que não faz uma CPI né mesmo?

Foi só a comissão de inquérito do Senado Federal começar a impor responsabilidades a determinados homens públicos sobre ações e omissões criminosas, para que aparecessem vacinas e fosse montada uma “estrutura de guerra” para imunizar a população do Amazonas.

Foto: Secom

De outro lado, o governador do Amazonas que não foi visto no interior do Estado, durante os piores dias de pandemia, quando faltaram leitos, profissionais de saúde, medicamentos e até oxigênio e sedativos para o momento da intubação de pacientes graves com Covid-19, agora é presença constante nos municípios interioranos, distribuindo ranchos, cartões com diversos tipos de auxílios financeiros, e seja lá mais o que for necessário para tirar sua cabeça da “guilhotina” eleitoral e seu nome da lista dos mais rejeitados políticos da história do Amazonas.

Os gestores do Amazonas e do Governo Federal estão parecendo “siri na lata”, se estapeando pra ver quem faz mais coisas pra tirar seu nome da “lama” da história sobre tempos de pandemia.

E, euzinha, Any Margareth, que nunca fui muito de acreditar em Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs), dou um “viva” em alto e bom som para a CPI do Senado Federal.