OAB-AM pede suspensão de prazos processuais no dia da eleição para Presidência da Ordem

A Comissão Eleitoral da Ordem dos Advogados do Brasil – seccional Amazonas (OAB-AM) pediu ao Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), além das Justiça do Trabalho e Federal que suspenda os prazos processuais na quarta-feira (28) – dia da eleição para Presidência da OAB no Estado.

O presidente da Comissão Eleitoral, Vasco Vasques, ressaltou a importância dos advogados comparecerem à eleição. “Trata-se de um momento importante para a advocacia amazonense, por isso estamos tomando todas as providências para que os colegas não sofram nenhum tipo de prejuízo na questão processual junto aos Tribunais e possam sair para votar em seus candidatos de forma segura e tranquila”, afirmou.

Preparativos

Durante toda a semana, o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) que dará todo o suporte necessário à realização da eleição para a presidência da OAB-AM, trabalhou nos preparativos da infraestrutura que será empregada no dia do Pleito.

Além de Manaus, poderão votar também os advogados dos municípios de Tefé e Parintins, onde a OAB-AM possui subseção. Na capital, serão disponibilizadas pelo TRE-AM 40 urnas eletrônicas. Nos demais municípios, a votação dar-se-á, exclusivamente, por meio de urnas de lona.

A eleição para a OAB-AM triênio 2019-2021 ocorrerá no horário de 9h às 17h e os advogados  deverão apresentar a carteira da Ordem ou documento oficial com foto, podendo ser carteira profissional, CNH ou passaporte.

Atualmente, 6,5 mil advogados e advogadas estão aptos a votar. A votação é obrigatória e o advogado que não votar deverá pagar multa que corresponde a 20% do valor da anuidade, em torno de R$ 160,00.

Com informações da OAB-AM.