OAB pede ajuda da Polícia Federal para elucidar assassinato de advogado

Procurador Geral e Presidente do Sistema Regional de Prerrogativas da OAB-AM, Alan Johnny Feitosa da Fonseca

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional do Amazonas (OAB-AM) formalizará um pedido de providências e intervenção junto ao Ministério da Justiça para que a Superintendência da Polícia Federal no Amazonas ajude nas investigações para identificação dos autores da prática de homicídio do advogado Armando Freitas. Às vésperas de completar quatro meses do ocorrido, a OAB informou que a Polícia Civil do Amazonas não conseguiu identificar os autores do crime.

A informação foi confirmada pelo Procurador Geral e Presidente do Sistema Regional de Prerrogativas da OAB-AM, Alan Johnny Feitosa da Fonseca. A Ordem teme que a morte de Armando seja colocada na trincheira dos demais assassinatos de advogados ocorridos em Manaus e que ainda aguardam por um desfecho.

O Procurador de Prerrogativas relembra a morte dos advogados Jackson Souza e Silva e Marcelo Augusto Andrade Chaves, ocorridas em 2015 e de Ivan Costa Novo, assassinado em 2009. Todas, segundo Alan Johnny, continuam sem solução.

Allan informou que estará viajando para Brasília no próximo dia 18, quando terá uma audiência no Ministério da Justiça e também na Câmara dos Deputados para pedir apoio dos parlamentares no sentido de cobrar das autoridades uma elucidação para o crime, visto que Armando também era uma figura pública. O advogado foi atingido com tiros quando chegava em seu escritório no bairro Glória.

Recompensa

Conselheiros da OAB-AM chegaram a oferecer uma recompensa de R$ 10 mil para quem prestasse informações que ajudassem a Polícia nas investigações, no entanto, apesar da divulgação do vídeo com as imagens do homicídio e da recompensa, Allan afirma que as investigações não avançaram na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

No mês passado, à pedido da OAB-AM, o Procurador Geral de Justiça do Estado, Fábio Monteiro, designou o promotor de Justiça Armando Gurgel, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, para atuar na investigação.

Quem tiver qualquer pista ou informação sobre a localização dos suspeitos, deve ligar para o disque denúncia da DEHS, no (92) 99184-4434, ou ainda pelo número 181, da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM). O sigilo da fonte é assegurado.

Com informações da assessoria da OAB-AM.