Omar apela pra “Ação Conjunta” entre Melo e Artur e o prefeito afirma: “Vamos ganhar de goleada”

IMG_7292

Para quem não estava próximo ao palanque no clube Chariot, na Avenida Max Teixeira, na Cidade Nova, onde aconteceu a Convenção Estadual do PSDB, evento realizado como “pano de fundo” para o anúncio oficial do apoio do prefeito Artur à reeleição do governador José Melo, dava até para fazer uma certa “confusão mental” e pensar que era Amazonino Mendes discursando no lugar de Omar. “Para dar continuidade aos programas que implantamos juntos, preciso que Melo continue no Governo. Essa parceria entre Governo do Estado e Prefeitura de Manaus tem que continuar”, disse Omar, parafraseando Amazonino Mendes com sua antiga Ação Conjunta nos tempos em que era governador e elegeu Alfredo Nascimento, por duas vezes (1996 e 2000), prefeito de Manaus, com Omar Aziz como vice.

Mas, se Omar decidiu “ressuscitar” a Ação Conjunta em seus pedidos de voto para Melo, parece que esqueceu que fez parte dela, e de que Amazonino prefeito, trabalhou para ele ser leito governador em 2010, ao descer as peia na administração de Amazonino dizendo ele (Omar), Melo e Artur “tiraram a cidade de Manaus do caos em que estava”. Já o prefeito Artur Neto, que veio manifestar seu apoio ao governador neste sábado (21), nove dias antes do prazo final (30 de junho) para definição de apoios e uniões partidárias, negou que em algum momento estivesse indefinido sobre seu apoio a Melo.  “Eu já sabia qual era a minha definição”, afirmou o prefeito – tadinha da deputada federal Rebeca Garcia que acreditou até último momento no apoio de Artur à sua candidatura ao Governo e que até ocupou os espaços de propaganda política do seu partido (PP) na TV, fazendo propaganda gratuita para o prefeito.

Assumindo o papel de vítima, Artur Neto se disse perseguido pelo Governo de Dilma Rousseff – de quem Braga é líder no Senado -, explicando não ter avançado em projetos da sua administração porque não teria recebido recursos por ser de oposição. E logo depois disso, declarou: “O meu candidato a presidente da República é Aécio Neves e ele vai ser presidente” – pelo jeito também foi só jogo de cena a palavra dada por Melo à presidente Dilma de que ela teria seu apoio, já que Artur sempre declarou publicamente que o candidato a Governo para tê-lo em seu palanque  teria que fazer palanque para Aécio Neves. O prefeito, em tom bem menos vitimizado do que no começo do discurso, lembrou que se está vivendo tempos de copa do mundo e previu: “Vamos ganhar de goleada (a eleição)! (Any Margareth)

Foto: Zezinho Rodrigues