Omar Aziz é o 4º mais faltoso e o campeão de gastos supérfluos com dinheiro público, aponta Congresso em Foco

O Congresso em Foco, site nacional especializado em política, em uma matéria que trata sobre mordomias e gastos supérfluos – o mesmo que fazer “graça” com dinheiro público – dos senadores da República, aponta o senador amazonense Omar Aziz (PSD) como o 4º mais faltoso de um total de 81 senadores e como o campeão de gasto com supérfluo.

Segundo o Congresso em Foco, “os senadores podem contratar até 55 assessores, inclusive profissionais de comunicação”, já que possuem uma verba mensal que varia de R$ 21 mil a R$ 44 mil, dependendo do Estado de origem de cada um – Omar é um dos que têm R$ 44 mil para gastos com contratação de assessores. “Ainda assim há senadores que optam por contratar terceirizados a peso de ouro para a realização deste trabalho, uma espécie de ponte entre o parlamentar e a mídia. Essas contratações, e mais alguns penduricalhos, resultaram numa despesa de R$ 2,7 milhões aos cofres públicos apenas em 2016, o equivalente a pagar o novo salário mínimo a 2.881 trabalhadores”, escreve o jornalista Lúcio Batista.

Dando exemplo dessas contratações, o Congresso em Foco aponta o senador amazonense (Omar) como o campeão desse tipo de gasto – eita vergonha nossa, né gente?  Além de mostrar que Omar é o quarto mais faltoso de um total de 81 senadores, ao deixar de ir trabalhar 27 vezes no ano passado, o Congresso em Foco mostra ainda que, em 2016, ele (Omar Aziz) pagou com dinheiro público nada menos que R$ 270 mil – R$ 30 mil mensal – para a microempresa Jefferson L.R. Coronel-ME, “de um conhecido jornalista e marqueteiro político do Amazonas”.

O mesmo Jefferson Coronel cuja empresa recebeu dinheiro dos cofres do Senado foi posto por Omar Aziz para trabalhar na campanha política do ano passado para Silas Câmara (PRB-AM), candidato à prefeito – olha ele ai de novo, né gente? Segundo está registrado no TRE, Jefferson Coronel recebeu R$ 300 mil pra ser o marqueteiro de Silas Câmara. (Any Margareth)