Operação Alcateia: 12 policiais são presos sob acusação de roubo, extorsão, tráfico de drogas e assassinatos

operação-alcatéia

Uma força-tarefa formada pela Polícia Federal, Ministério Público e Secretaria de Segurança, deflagrou nesta sexta-feira (27) a Operação Alcateia Foram presas 15 pessoas, entre as quais 12 policiais militares que, segundo informações repassadas pela polícia, estão sendo investigadas pelo envolvimento em oito mortes ocorridas no período de 17 a 19 de julho deste ano em Manaus. Em apenas dois dias ocorreram 34 assassinatos em Manaus.

Mas esses policiais não estariam envolvidos somente nesses homicídios. Eles fariam parte de um grupo de extermínio que já atua há mais tempo e que é responsável por outras mortes, além de crimes como roubos e extorsão.

O corregedor-geral do Sistema de Segurança Pública, Leandro Almada, disse que a prisão do grupo ocorreu após monitoramento e investigação da área de Inteligência da SSP-AM, em conjunto com a Polícia Federal. “Fomos observando o andamento de uma série de fatores que ocorreram naquela época nas regiões da cidade. Tudo isso nos chamou atenção e fomos ligando os elementos até chegar aos suspeitos presos hoje”, disse.

A Operação Alcateia também resultou na apreensão de seis carros, uma moto, seis pistolas ponto 40, cinco revólveres calibre 38, duas pistolas ponto 380, uma escopeta, uma arma de choque e munições. Os 12 policiais presos foram encaminhados ao Batalhão de Guarda da Polícia Militar, localizado no bairro Monte das Oliveiras, zona norte de Manaus.

Segundo informações repassadas pela Secretaria de Segurança, “os demais 26 homicídios ocorridos no período de 17 a 19 de julho continuam sendo investigados. A delegacia especializada em Homicídios e Sequestros está com 14 inquéritos em andamento para investigação de suspeitos, tendo sido identificadas oito autorias. Há ainda investigações que resultaram na Operação ‘La Muralla’, deflagrada nesta semana pela Polícia Federal, que apontam a participação de facções criminosas nesses homicídios”.