Operação ‘Awá’: Ipaam e Batalhão Ambiental combatem crimes ambientais nas calhas dos rios Solimões, Purus e Japurá

ipaam

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), em conjunto com Batalhão Ambiental da Polícia Militar, realizou, de 12 a 26 de agosto deste ano, a “Operação Awá”. A ação teve o objetivo de patrulhamento e fiscalização ambiental, presença ostensiva e ação repressiva no combate aos ilícitos ambientais, como caça ilegal, apreensão de animais desmatamento, queimadas e até narcotráfico e pirataria, na região do Médio e Alto Solimões.

A missão abrangeu municípios e comunidades ao longo das calhas dos rios Solimões, Purus e Japurá, além daquelas existentes dentro das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Mamirauá e Amanã, assim como a Reserva Extrativista (RESEX) Catuá – Ipixuna.

No viés preventivo, foram realizadas abordagens de caráter legal e pedagógico nos municípios de Codajás, Beruri, Coari, Alvarães, Uarini, Anamã, Tefé e Fonte Boa, bem como nas comunidades de Tabuleiro do Ferro, Novo Viola, Porto Boa Vista, Bate-Papo, Acari, São Pedro, Itaúba, Itaituba, Jubará, Tucuiú, São José do Cuiú-Cuiú, São João do Ipecaçu, Ubim e Nova Esperança, visando a conscientização da população ribeirinha na adoção de práticas ecologicamente sustentáveis.

“Esta é uma região é bastante problemática quanto à ocorrência de crimes ambientais. É uma operação que envolve um esforço coletivo do Ipaam e do Batalhão por região de difícil acesso e muitos riscos”, disse o gerente de Fiscalização do Ipaam, Rodrigo Serafini.

Apreensões

No que se refere aos crimes e infrações contra a fauna foram apreendidos 2190 Kg de Pirarucu, 1 pirarucu de cativeiro, 346,5 Kg de carne de caça, 261 ovos de quelônio, 21 quelônios e 5 aves em extinção resgatadas. Quanto aos crimes e infrações contra a flora foram apreendidos 12m³ de madeira serrada, 350 Kg de carvão vegetal e realizado procedimento em uma área com intervenção em Área de Preservação Permanente – APP.

Ao todo foram lavrados 35 (trinta e cinco) Autos de Infração que totalizaram mais de 1.800.000,00 (um milhão e oitocentos mil reais) em multas, ademais também foram lavrados 39 (trinta e nove) Termos de Apreensão/Depósito, 06 (seis) Termos de Doação, 07 (sete) Termos de Soltura, 07 (sete) Termos de Destruição, 02 (dois) Termos de Embargo e 1 (uma) Notificação.

Durante o período da operação, enfatizou-se também o combate aos crimes de narcotráfico e roubos a embarcações (pirataria), sendo abordadas, aproximadamente, 137 embarcações e 3.780 pessoas, culminando com a condução e a prisão de diversos infratores, apreensões de 04 armas de fogo, 32 munições de diversos calibres, 08 embarcações, 02 motores de popa e 1 escavadeira, resultando na formalização de 11 TCOs e 14 flagrantes delitos.

Estrutura

Foram utilizados na operação 01(uma) Embarcação Ferry Boat e 02 (duas) lanchas de ação rápida, somado a um efetivo de 19 (dezenove) policiais militares do BPAmb, 02 (dois) policiais militares do canil com cão farejador e 3 (três) fiscais (analistas ambientais) do Ipaam.

Os recursos são provenientes do Programa ARPA, gerenciado pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), que apoia as Unidades de Conservação do Estado.

Canal de denúncia

O Ipaam, por meio da Gerência de Fiscalização Ambiental (Gefa), recebe denúncias de ilícitos ambientais pelos telefones (92) 2123-6715 e 2123-6729 ou diretamente na sede do órgão. Já o Batalhão de Policiamento Ambiental recebe denúncias através da linha direta 98842-1547 ou ainda pelo 190.