Operação “Cumpra seu dever 1” faz caloteiros de pensão alimentícia irem pra cadeia

pensão 3

A operação “Cumpra seu dever 1” foi deflagrada na manhã desta terça-feira (15), para cumprir mandados de prisão por dívida de pensão alimentícia. A operação foi coordenada delegado geral de Polícia Civil do Amazonas, Raimundo Acioly e delegado geral adjunto Alberto Petrônio.

pensão delegadoO diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), Rozenildo Benedetto e o delegado titular da Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (Decp), Antônio Rondon, foram os responsáveis, respectivamente, pela coordenação administrativa e operacional da ação integrada.

De acordo com o delegado Antônio Rondon, a operação teve como objetivo o cumprimento de mandados de prisão por pensão alimentícia, referentes aos anos de 2014 e 2015. A ação ocorreu nos bairros Cidade Nova, Cidade de Deus, Nova Cidade, Monte das Oliveiras, Novo Aleixo, Tancredo Neves e Jorge Teixeira.

Os documentos, conforme Rondon, foram distribuídos entre dez equipes, compostas, cada uma delas, de dois investigadores e um oficial de Justiça. No total, foram apreendidas 46 pessoas, sendo 43 homens e três mulheres.

Ele também destacou que a intenção foi efetuar as prisões efetivamente, e incentivar aqueles que ainda possuem débitos com a Justiça a regularizarem as pendências. Entre os meses de janeiro a dezembro deste ano, a Polícia Civil já cumpriu 144 mandados de prisão por dívida de pensão alimentícia.

“Nosso maior objetivo é conscientizar os devedores, os quais já estão com mandado de prisão desfavorável expedido, a procurarem a Vara Judicial com a finalidade de fechar acordo e quitar o débito. Mais do que a privação da liberdade do ‘alvo’, a Polícia Civil e todos os demais órgãos participantes da operação, buscam resguardar o direito fundamental das crianças envolvidas em questão” explica Rondon, destacando que mais operações similares serão deflagradas no próximo ano.

Após os procedimentos legais, os inadimplentes que não conseguiram efetivar o valor do débito judicial foram recolhidos. Os homens foram conduzidos à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, e as mulheres ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), onde permanecerão à disposição da Justiça.