Órgãos irão elaborar laudo para assegurar condições de uso da Praia da Ponta Negra

Equipes técnicas dos órgãos da segurança irão elaborar um laudo, nesta quinta-feira (8), sobre a Praia da Ponta Negra que embasará as providências adotadas pela Prefeitura de Manaus quanto às condições de uso da praia pelos banhistas.

A cota do rio Negro alcançou 17,05 metros nesta quarta-feira (7), segundo medição no Porto de Manaus. Conforme o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado em 2013, a marca de 16 metros é a cota de segurança mínima para a entrada dos banhistas no rio.

O documento, assinado entre a Prefeitura, o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar, resultou na adoção das atuais normas de uso da praia perene. Em outubro de 2015, houve uma interdição provisória da praia para assegurar segurança dos banhistas.

O diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Claudio Guenka, explicou que todo o efetivo do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Guarda Municipal e demais órgãos que já atuam na Ponta Negra irão direcionar suas atividades para orientar e fiscalizar os banhistas.

“É uma questão de a população entender que estamos preocupados em resguardar suas próprias vidas, que o poder público está atuando a favor da segurança. Placas de sinalização estão sendo instaladas ao longo da praia perene informando sobre áreas impróprias para o banho”, informou Guenka.

Antes de tomar qualquer medida, o Implurb, que responde pela gerência do Complexo Turístico Ponta Negra, adotou mecanismos de vistoria, análise e medição da praia com o Corpo de Bombeiros, Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf). Todos já foram oficiados para apresentar laudos sobre as condições da praia perene.

Segundo a Cláusula 1 do TAC, parágrafo 3°, “a interdição automática do uso da praia ocorrerá sempre que os laudos e/ou relatórios a que se referem os parágrafos anteriores comprovarem que a praia encontra-se imprópria para o uso dos banhistas”.

“Vamos aguardar o resultado do laudo técnico para tomar as medidas, mas o cuidado é diário, porém existem excessos que tentamos orientar, tanto com bebida, como com crianças. Então, a população também tem que ter os cuidados que orientamos, principalmente, com as placas de sinalizações”, ressaltou o vice-presidente do Implurb, Telamon Firmino.