Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica celebra dez anos em concerto nesta quinta (23)

Instrumentistas e regentes revisitam peças que marcaram a trajetória da Filarmonica, integrante dos Corpos Artísticos do Amazonas desde 2007

Seguindo as comemorações dos 20 anos da Amazonas Filarmônica e dos 15 anos da Orquestra de Câmara do Amazonas (OCA), chegou a vez da Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica festejar seus dez anos de trajetória. A celebração acontece em concerto especial nesta quinta-feira (23/11), às 20h, no Teatro Amazonas, dentro da Série Guaraná XIV. Ingressos para plateia e frisas já estão à venda na bilheteria do local; os demais assentos são livres.

A Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica comemora sua primeira década de vida com o concerto “10 Anos de Sucesso”, revisitando composições que fizeram parte da trajetória do grupo ao longo desse período. A orquestra foi criada em 2007, sendo mantida pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

“Foram muitas obras importantes que a orquestra apresentou ao longo desses dez anos. Selecionamos, com bastante cuidado, uma amostra dessas obras, todas com bastante colorido orquestral, de forma a mostrar bem o potencial do conjunto, e todas as partes importantes da história da Orquestra Experimental”, adianta o regente assistente da orquestra, Otávio Simões, que divide a condução do concerto com o regente titular, Luiz Fernando Malheiro, e o regente adjunto, Marcelo de Jesus.

Além dos integrantes da orquestra, que reúne instrumentistas em formação e profissionais da Amazonas Filarmônica, a apresentação terá algumas participações especiais. “Para esse concerto, que celebra dez anos de Orquestra Experimental, convidamos todos os músicos que já passaram pela orquestra e que hoje estão na Amazonas Filarmônica”, informa Marcelo de Jesus.

Fazem parte dessa lista de convidados Barbara Soares, Jonatas Silva e Silva, Antonina Minenkova, Alex Teixeira, Rani Mello, Griblas Lizama, Eliziel Lourenço dos Santos, Timóteo Esteves, Bento Soares e Andrio Dias, todos integrantes da Filarmônica, mais o ex-integrante Marco Ramos.

Seleção musical

O programa do concerto inicia com “Finlândia” (1900), poema sinfônico de Jean Sibelius (1865-1957) que esteve entre as peças do espetáculo de estreia da orquestra. Logo após vêm “Ponteio” (1953), obra para orquestra de cordas de Claudio Santoro (1919-1989), e a abertura-fantasia do balé “Romeu & Julieta” (1880), de Pyotr Tchaikovsky (1840-1893).

A seleção reúne ainda trechos de peças executadas pela Orquestra Experimental em diferentes edições do Festival Amazonas de Ópera (FAO). É o caso da fábula musical “Pedro e o Lobo” (1936), de Sergei Prokofiev (1891-1953), apresentada pelo conjunto no Festival do ano passado. Outro exemplo é a ópera “Onheama”, encomendada pelo evento ao compositor carioca João Guilherme Ripper e executada pela primeira vez pela Orquestra Experimental, em 2014.

Completando o programa estão a sinfonia da ópera “Il Guarany” (1870), de Antônio Carlos Gomes (1836-1896), que fez parte do concerto apresentado pela Orquestra Experimental em Buenos Aires, em 2010; e “Danzón nº 2”, do compositor mexicano Arturo Márquez.

Década de conquistas

A Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica foi criada, em 2007, pelo maestro Luiz Fernando Malheiro, como forma de complementar a formação de instrumentistas para ocupar os assentos das orquestras mantidas pela Secretaria de Cultura do Amazonas.

“É uma orquestra que foi criada para ser um celeiro de profissionais. Nesses dez anos ela já soma três ou quatro gerações de músicos. Ela reúne instrumentistas ainda não profissionais, que desenvolvem as habilidades requeridas para tocar numa orquestra por meio do trabalho diário com os monitores, que são músicos profissionais da Amazonas Filarmônica, e também com os maestros”, explica De Jesus.

Simões destaca o nível elevado da orquestra dentre outras similares. “Orquestras jovens no Brasil existem várias, mas poucas com o cuidado que temos aqui, de construir uma formação musical, com monitores ao lado orientando, ensaios de naipe, obrigações e por aí vai”, avalia. “E temos frutos disso, com muitos músicos hoje na Filarmônica, e outros em Estados como Minas Gerais e Rio de Janeiro. É um conjunto importante para continuarmos fazendo história com a música no Brasil”.

Para De Jesus, o conjunto ajudou a estabelecer uma plataforma de formação de instrumentistas profissionais. “Ela consolidou um caminho que vem do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro e passa pela Orquestra Experimental até a Amazonas Filarmônica”, aponta ele, destacando ainda o caráter genuinamente local do grupo: “É uma orquestra de amazonenses”.

Para mais informações sobre essas e outros ações, projetos e atividades desenvolvidas pela Secretaria de Estado de Cultura, acesse o Portal da Cultura (www.cultura.am.gov.br). Confira também os perfis do órgão nas redes sociais Facebook (facebook.com/culturadoamazonas), Twitter (@SEC_Amazonas) e Instagram (@secretariaculturaamazonas).

PROGRAMA
Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica: 10 Anos de Sucesso

Jean Sibelius (1865-1957)
“Finlândia”, poema sinfônico op.26 (1900)

Claudio Santoro (1919-1989)
“Ponteio”, para orquestra de cordas (1953)

Pyotr Ilyich Tchaikovsky (1840-1893)
“Romeu & Julieta”, abertura-fantasia (1880)

Sergei Prokofiev (1891-1953)
“Pedro e o Lobo” (parte final), op.67 (1936)

Antônio Carlos Gomes (1836-1896)
Sinfonia da ópera “Il Guarany” (1870)

João Guilherme Ripper (1959)
Dança para espantar a Onça Celeste, da ópera “Onheama” (2014)

Arturo Márquez (1950)
“Danzón n.2” (1994)

Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica
Regência: Luiz Fernando Malheiro, Marcelo de Jesus e Otávio Simões

Serviço: Concerto comemorativo “Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica: 10 Anos de Sucesso” – Série Guaraná XIV
Local: Teatro Amazonas, avenida Eduardo Ribeiro, 659, Centro
Data/hora: Quinta-feira, dia 23 de novembro, às 20h
Entrada: Ingressos para plateia e frisas a R$ 20 (inteira); demais assentos livres
Classificação indicativa: Livre

Fotos:Bárbara Umbra/Divulgação