Os 100 dias de Governo de Wilson é de retrocesso ou paralisia, aponta estudo do O Globo

Os 100 primeiros dias de Governo de Wilson Lima (PSC) foram classificados como de retrocesso ou paralisia em três dos cinco eixos de um estudo elaborado pelo jornal O Globo com avaliações de 40 especialistas e organizações. O levantamento de o Globo traz a avaliação do presidente Jair Bolsonaro e de dez governadores.

Os dados colocam Wilson como o pior governador dentre os dez pesquisados, com três indicações de retrocesso na gestão e duas indicações de erros na condução de ações do Governo. O governador de Goias, Ronaldo Caiado (DEM), que enfrenta uma crise fiscal sem precedentes, também teve três indicações de retrocesso, mas apenas uma de erros na gestão.

Segundo O Globo, mesmo impulsionado por uma votação recorde, Wilson Lima não conseguiu avançar em 100 dias de Governo. (Veja o estudo no final da matéria)

Entre os pontos críticos apontados pelo estudo estão a Saúde, onde falta dinheiro e sobram doenças, há um desequilíbrio financeiro e especialistas apontam que “o atual Governo nao deu respostas suficientes”; a Segurança Pública, onde o Governo sequer informa o que foi efetivamente feito e, segundo o Instituto Igarapé, há desestruturação de mecanismos de integração e foco no pequeno traficante”; e Infraestrutura, onde o Governo não apresentou projetos específicos e não há perspectiva de retomada das 117 obras paradas.

O estudo retrata, na verdade, o que a população tem vivido no dia a dia: ausência de políticas públicas, caos na saúde, problemas na segurança com índices positivos apenas na propaganda oficial que aponta para uma realidade de um universo paralelo, nenhuma obra efetiva de infraestrutura e completo abandono do interior do Estado.

Sem contar com a crise na Educação, com denúncias de irregularidades, descaso com os professores e prestes a enfrentar uma paralisação na rede pública de Ensino por não conseguir chegar a um consenso com a categoria quanto ao pagamento de reajustes previstos em lei. Segundo O Globo, das 14 ações previstas na campanha, Wilson não executou sequer uma.

O que mais se ouviu nos últimos 100 dias que o caos está instaurado por conta do déficit orçamentário e dívidas herdadas de governos anteriores. Mas, ao invés de reduzir os custos da máquina pública, Wilson fez o inverso: aumentou as despesas, principalmente com pessoal, em 25%, chegando a R$ 510 milhões – números que também, vexatoriamente, estão no estudo de O Globo.

E olha que a receita cresceu 17% em janeiro, mas como ter recursos se os gastos também cresceram e de forma desproporcional?

A realidade é que em 100 dias vimos um Governo apático, preocupado em arrumar cargos para apadrinhados e fechar contratos milionários, se distanciando do povo e das necessidades da população.

Confira o estudo na íntegra