“Os coronéis políticos só lembram do povo em ano eleitoral”, disse David, em Carauari e Tapauá

Na agenda que cumpriu nas regiões do Juruá e do Purus, nos municípios de Carauari e Tapauá, neste fim de semana, o candidato ao governo do Estado pela coligação Renova Amazonas, David Almeida (PSB), convidou as pessoas a escreverem uma nova história para o Estado, no dia 7 de outubro. Nas duas cidades por onde passou, o candidato viu de perto as condições precárias da infraestrutura, com ruas esburacadas, sem meio-fio e ruas não asfaltadas, ele ouviu relatos de abandono nos serviços de saúde e educação.

David denunciou que, possivelmente, nos próximos dias, o governo deve enviar as máquinas para frentes de obras, na falsa tentativa de mostrar que o atual governador se preocupa com o povo do interior. “Mas é tudo mentira. Eles só fazem isso de quatro em quatro anos, no período eleitoral. Acabou a eleição, acabou o trabalho. As máquinas vão embora e tudo volta a ficar como está, com infraestrutura básica precária”, disse David às multidões que o receberam em Carauari e depois Tapauá.

David explicou que os seus adversários nessa eleição “são a mesma face da mesma moeda”, uma vez que eles estão com candidaturas diferentes, mas jogam no mesmo time para inviabilizar a mudança. “Eles só lembram o povo do interior quando precisam de voto. Só há uma forma de o Amazonas se desenvolver. Basta não eleger e reeleger candidatos que já tiveram mandatos de quatro anos inteiros para fazer o bem pelo povo do Amazonas, mas não fizeram. Um deles já teve três mandatos. Teve tempo, dinheiro e apoio político, mas preferiu deixar o povo com as migalhas. Se eles ganharem novamente, o povo vai continuar escravo desse jeito de fazer a política da enganação. Vamos votar para acabar com o coronelismo no nosso Estado”, frisou.

O candidato da coligação Renova Amazonas lembrou que, em quatro meses, quando esteve governador interino do Estado – de maio a outubro de 2017 -, ele conheceu a máquina e viu que o governo tinha condições de melhorar os serviços de saúde, valorizar os professores e os policiais civis e militares; e, ainda, asfaltar estradas, ramais e vicinais para o setor primário.

“Quando estive governador interino do nosso Amazonas, nós realizamos sonhos de mais de 40 anos, de 50 anos, de 60 anos, de comunidades que viviam isoladas. Agora é possível escoar as suas produções em ramais e vicinais asfaltadas, sem poeira e atoleiro. Nós poderíamos fazer mais, com mais tempo. Nós deixamos dinheiro em caixa, na conta do governo, e demos até muitas ordens de serviços como a que demos para asfaltar as ruas de Tapauá, mas o atual governo até agora disse não ao povo do interior”, criticou David.

Zoneamento

No plano de governo de David Almeida, dentro do programa de Zoneamento Econômico Ecológico, para a geração de emprego e renda nas regiões do Juruá e Purus, ele afirmou que vai incentivar e viabilizar as potencialidades dos municípios, como a piscicultura e a fruticultura, em especial o cultivo e o beneficiamento do açaí de Carauari e a criação de fazendas de geração de energia solar em Tapauá.

Além de oferecer melhores serviços públicos para a população do interior do Amazonas, David afirmou que o governo tem muito dinheiro em caixa para implantar o programa de Zoneamento Econômico e Ecológico, para desenvolver os municípios, de acordo com as suas potencialidades, como é o açaí de Carauari, o pescado no Alto Solimões e a produção pecuária e de grãos nos campos abertos do sul do Estado.

“Sem agroindústria, o açaí amazonense vai em grande parte in natura para o estado de Goiás, onde uma grande empresa enriquece ainda mais com riquezas nossas, como é o açaí. No governo nós vamos implantar agroindústrias para o açaí, frigoríficos para os pescadores e incentivar a produção de ração a partir do cultivo da soja e do milho, no sul do Amazonas, para os piscicultura de todo o Estado, e assim transformar o Amazonas em um dos maiores produtores de alimentos do Brasil”, salientou David.