Os filhos deles não vão para o hospital público

A cada dia que passa chego à conclusão que o pior defeito do ser humano é não conseguir se colocar no lugar do outro. Quem sabe por ver essa dificuldade do homem, Jesus Cristo não tenha pregado como principal dos mandamentos “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento e amarás ao teu próximo como a ti mesmo”.

Afinal, será que alguém que se coloca no lugar dos outros, deixaria um hospital sem tomógrafo? Tenho certeza, que se os parentes do governador do Estado, Wilson Lima, ou de seu vice, Carlos Almeida, ou dos doze secretários de Saúde – são doze mesmo, viu gente! – usassem a rede pública de saúde, os hospitais não ficariam sem um equipamento tão necessário quanto um tomógrafo.

E foi por causa de falta de tomógrafo nos hospitais públicos que o comerciante Thiago Dantas Batista, de apenas 28 anos, passou horas agonizando e acabou morrendo. Thiago levou um tiro na cabeça, por volta das 18h, durante assalto ao seu comércio e foi levado para o Hospital e Pronto Socorro Platão Araújo. Os médicos precisavam de uma tomografia para poder realizar a cirurgia de retirada da bala, mas o tomógrafo do hospital está quebrado.

Thiago ficou horas agonizando, lutando pela via, enquanto esperava por uma ambulância com UTI para levá-lo a outro hospital que tivesse com o tomógrafo funcionando. Não se sabe se fizeram a tomografia em Thiago, o que se sabe é que ele acabou morrendo.

E num governo onde muitos já perderem a humanidade ninguém parece conseguir ver que ali poderia estar um irmão, um filho, uma pessoa da família de qualquer um de nós. Eles não se colocam no lugar dos outros, até porque seus irmãos e filhos não vão para o hospital público.