Os jovens nas ruas e o Blues da Piedade

Esse é um momento para o Blues da Piedade! Para quem não conhece essa é uma música de autoria de Cazuza e Frejat faixa do disco “Ideologia”, lançado em 1988. Foi o Blues da Piedade que tocou de repente nos meus ouvidos ao ver, em redes sociais e alguns grupos de WhatsApp, gente destacando em tom de crítica o fato das manifestações nos Estados Unidos, no Brasil e em outros países ter, visivelmente, a presença quase que unânime de jovens.

E, como de costume acontece comigo, onde o texto se confunde com uma trilha musical que só eu ouço, o Blues da Piedade surgiu instantaneamente: “Vamos pedir piedade, Senhor piedade! Pra essa gente careta e covarde. Vamos pedir piedade! Senhor, piedade! Lhes dê grandeza e um pouco de coragem.”

Piedade Senhor, porque essa gente careta não consegue ver que dos jovens será mais uma vez a missão de transformar o mundo. Foi deles a conquista, em 1964, de uma lei que proibiu a segregação racial nos Estados Unidos. Muitos deles morreram nas manifestações que ocorreram nos anos 60 e 70. Seus líderes, como Malcom X ou Martin Luther King foram assassinados ainda jovens, todos dois com apenas 39 anos.

E uma multidão de jovens, desta vez multirracial, com brancos e negros caminhando lado a lado, tem ido às ruas dos Estados Unidos lutar contra o racismo, contra a violência policial e o desrespeito aos direitos civis. O ponto de partida para essa revolta popular foi o assassinato de George Floyd um homem negro por um policial branco em Minneapolis.

A importância dos jovens para os avanços dos direitos civis nos Estados Unidos, nas últimas décadas, foi lembrada por um homem nada careta e covarde. O ex-presidente Barack Obama se solidarizou com os jovens e declarou: “Eu quero que vocês saibam que vocês importam. Eu quero que vocês saibam que suas vidas importam, que seus sonhos importam”.

No Brasil, os jovens estão indo pra rua novamente como já fizeram tantas vezes antes em nossa história. As razões são as mais diversas, mas principalmente, defender a democracia ameaçada por gente careta e covarde. Gente que prega o ódio às pessoas e o amor às armas. Gente que prega um país sem leis, sem tribunais e sem parlamento, onde as decisões passem apenas por antigas práticas de mentiras, enganação e autoritarismo. Velhas táticas de dominação e poder.

E apesar de não ser mais jovem cronologicamente, meu coração e minha alma está com os jovens nesta hora. E para essa gente careta e covarde, relembro a letra do Blues da Piedade para que tenham grandeza e um pouco de coragem.

Blues da Piedade

Agora eu vou cantar pros miseráveis
Que vagam pelo mundo derrotados
Pra essas sementes mal plantadas
Que já nascem com cara de abortadas
Pras pessoas de alma bem pequena
Remoendo pequenos problemas
Querendo sempre aquilo que não têm

Pra quem vê a luz
Mas não ilumina suas minicertezas
Vive contando dinheiro
E não muda quando é lua cheia

Pra quem não sabe amar
Fica esperando alguém que caiba no seu sonho
Como varizes que vão aumentando
Como insetos em volta da lâmpada

Vamos pedir piedade
Senhor, piedade!
Pra essa gente careta e covarde
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade!
Lhes dê grandeza e um pouco de coragem

Quero cantar só para as pessoas fracas
Que tão no mundo e perderam a viagem
Quero cantar os blues
Com o pastor e o bumbo na praça
Vamos pedir piedade
Pois há um incêndio sob a chuva rala
Somos iguais em desgraça
Vamos cantar o blues da piedade

Vamos pedir piedade
Senhor, piedade!
Pra essa gente careta e covarde
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade!
Lhes dê grandeza e um pouco de coragem