Os mais ricos e mais pobres na corrida ao governo do Amazonas – dizem eles!

Com os seis candidatos confirmados na disputa ao cargo no Executivo do Amazonas nas eleições deste ano, o Radar fez um levantamento para saber o valor dos bens declarados por eles à Justiça Eleitoral. Segundo consta no Sistema de Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), juntos, eles somam um patrimônio que chega a mais de R$ 5,8 milhões.

Desse montante, o atual governador e candidato à reeleição, Amazonino Mendes (PDT), declarou ter R$ 3,4 milhões em bens. Com isso, assume o primeiro lugar na lista dos mais ricos. E famoso por suas pescarias nos rios do Amazonas, não é estranho ver no roll dos bens do governador uma embarcação no valor de R$ 250 mil. Amazonino também tem seis terrenos que somam mais de R$ 518 mil; três veículos que totalizam R$ 462 mil; outros créditos e poupança vinculadas que chegam a ordem de R$ 875 mil.

Ele também declarou à Justiça Eleitoral ter outros bens e direitos no montante de R$ 298 mil. E quanto aquele dinheirinho que a gente chega a guardar numa latinha na dispensa pra qualquer precisão, no caso do governador não var dar na lata não, já que são R$ 120 mil em espécie.

Se ninguém estranha um amante das pescarias ter um barco, não há como não estranhar a única casa que o governador declarou, em sua relação de bens custar módicos R$ 56 mil, menos que muita casa popular na periferia de Manaus – o que dizer da construção de um muro de R$ 1 milhão numa casa de R$ 56 mil?

Já em segundo lugar no ranking dos mais ricos, aparece o senador e candidato ao governo do Estado, Omar Aziz (PSD), que declarou ter um patrimônio de R$ 1,5 milhão. Mais “modesto” que Amazonino, Omar disse ter apenas dois terrenos que totalizam R$ 990 mil e cinco propriedades de “ouro e ativo financeiro” que chegam ao montante de R$ 149 mil.

Com bens avaliados em R$ 582 mil, o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) e deputado estadual, David Almeida (PSB) figura em terceiro lugar na lista, mas com um patrimônio bem abaixo dos primeiros colocados. Ele disse ter uma casa avaliada em R$ 290 mil, um apartamento que custaria R$ 232 mil e um veículo no valor de R$ 60 mil.

O ranking dos mais pobres é encabeçado pelo candidato Sidney Cabral (PSTU), que declarou à Justiça Eleitoral o patrimônio de R$ 163 mil, sendo distribuídos em uma casa de R$ 150 mil e um veículo de R$ 13 mil. Logo atrás vem o candidato Nindberg Barbosa (PSOL), que disse ter bens na ordem de R$ 65 mil.

Ja o candidato Wilson Lima (PSC) declarou não ter nem carro, nem casa e sequer um centavo na “latinha” da dispensa para comprar o pão – então tá, né meu povo? Ele declarou ter um patrimônio avaliado em R$ 55 mil onde, segundo ele, estão divididos em participações societárias que totalizam R$ 50 mil, depósito bancário em conta corrente no valor de R$ 1,2 mil e caderneta de poupança avaliada em R$ 4,7 mil.

Confira a lista completa

Amazonino Mendes

Omar Aziz

David almeida

Sidney cabral

Nindberg Barbosa

Wilson Lima